Açúcar: Exportação

Prêmio do açúcar brasileiro aumenta em meio a gargalos logísticos

Tradings aumentam os prêmios para embarques agendados, enquanto os terminais Copersucar e Tiplam registram um tempo de espera médio de 10 e 13 dias, respectivamente


S&P Global Platts - 22 mai 2020 - 08:19

Por Nicolle Monteiro de Castro*

Os problemas logísticos que o Brasil vem enfrentando na exportação de açúcar bruto estão levantando preocupações no mercado sobre possíveis atrasos na entrega do adoçante aos consumidores finais em junho. Com isso, algumas tradings optaram por aumentar os prêmios pelos embarques agendados.

O Brasil tem desempenhado um papel importante na redução do déficit global de açúcar em 2019/20 (outubro a setembro), pois está maximizando sua produção da commodity nos primeiros meses da safra. Entretanto, os gargalos logísticos podem dificultar o fluxo.

Desde meados de maio, as tradings de açúcar sugerem lances mais altos para os embarques agendados com o objetivo de diminuir sua exposição a uma longa fila de navios no terminal da Rumo. Por lá, de acordo com agência marítima Unimar, o tempo de espera para atracar é, em média, de 29 dias.

Nesta quinta-feira (21), a S&P Global Platts avaliou o açúcar bruto para embarque em junho com um prêmio de 23 pontos em relação ao contrato futuro de açúcar nº 11 de Nova York. Trata-se de um aumento de 19 pontos em relação a 11 de maio, quando os contratos com entrega em junho se tornaram aqueles com data de expiração mais próxima.


EXCLUSIVO ASSINANTES

O texto completo desta página está
disponível apenas aos assinantes do site!

VEJA COMO É FÁCIL E RÁPIDO ASSINAR