Mesmo com as influências negativas do cenário mundial, nova temporada pode trazer uma colheita recorde – saiba o que esperar de 2020/21

novaCana.com 23 abr 2020 - 10:53

Atualização (13/05, às 12h05): O texto e os gráficos abaixo foram alterados para incluir as estimativas de Job Economia, Canaplan e Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

A safra 2020/21 de cana-de-açúcar do Centro-Sul já começou. A data oficial para o início da colheita e da moagem na região é 1º de abril, mesmo que eventualmente haja antecipações ou pequenos atrasos nas atividades das usinas.

Neste ano, a possibilidade de um adiamento no início da safra foi mais intensa, uma consequência da pandemia do coronavírus e das medidas de isolamento que tentam impedir sua disseminação. Porém a moagem de cana não pode esperar. Tomando as devidas medidas para garantir a segurança dos trabalhadores, as usinas iniciaram os trabalhos da safra 2020/21 e ela, na prática, já completou um mês.

O momento do início de safra é repleto de expectativas sobre a temporada como um todo. E, em um cenário de incertezas como o que o país está vivendo, as possibilidades são ainda mais amplas. Em entrevista ao Broadcast Agro no início de abril, o diretor técnico da União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica), Antonio de Padua Rodrigues, afirmou que houve uma quebra de expectativa em relação à safra 2020/21, que era positiva até fevereiro.

Para ele, a maior preocupação do setor no início da safra era a redução nas vendas de etanol, tanto nas usinas quanto nos postos, devido à queda nos preços da gasolina e na demanda. “É uma consequência drástica para o início da safra porque os preços estão quase abaixo dos custos de produção e, além disso, como não há demanda, não há venda”, reforça Padua, afirmando que a queda real seria conhecida no fim de abril.

De fato, o resultado do primeiro mês de isolamento foi de forte retração no consumo de combustíveis no país. De acordo com o ministro de Minas e Energia (MME), Bento Albuquerque, a demanda por etanol caiu 49% em abril, enquanto a de gasolina caiu 35%.

Mas, mesmo com uma perspectiva de produção incerta, o diretor da Unica acredita que existe a possibilidade de uma maior disponibilidade de matéria-prima a ser colhida, devido às condições climáticas favoráveis observadas desde o início do ano.

O levantamento mais recente do novaCana, feito ao longo de abril, confirma a previsão de Padua. Com 19 consultorias e empresas especializadas, a média das estimativas de moagem para 2020/21 ficou em 597,55 milhões de toneladas de cana-de-açúcar – 1,22% acima do resultado de 2019/20 (590,36 milhões).

Este é o terceiro levantamento da safra atual realizado pelo novaCana. O primeiro, de setembro de 2019, com apenas três consultorias, indicava uma moagem de 589 milhões de toneladas. Já o segundo, de março, contava com os números de dez empresas e estava mais próximo do número atual, com 597,4 milhões de toneladas, o que demonstra que as principais mudanças foram em outros indicadores – como o mix.

Confira, na versão completa, restrita para assinantes, as previsões das principais consultorias do setor para a safra 2020/21, com comentários e gráficos.


EXCLUSIVO ASSINANTES

O texto completo desta página está
disponível apenas aos assinantes do site!

VEJA COMO É FÁCIL E RÁPIDO ASSINAR