Levantamento exclusivo com 18 consultorias e empresas especializadas traz estimativas de déficit entre 544 mil e 10,2 milhões de toneladas

novaCana.com 27 fev 2020 - 09:27 - Última atualização em: 02 mar 2020 - 15:03

Atualização (02/03, às 15h) O texto e gráficos foram atualizados por conta de novas projeções divulgadas pela Agroconsult e ISO. 

A perspectiva de um déficit entre o consumo e a produção de açúcar na safra 2019/20 vem sendo a esperança para a sustentação dos preços da commodity ao longo deste e do próximo ano. O aporte nas cifras, inclusive, já começou a ocorrer nos futuros negociados pela bolsa de Nova York. E as estimativas de déficit feitas por empresas e consultorias vêm aumentando, conforme apontam os levantamentos periódicos realizados pelo novaCana.

As safras dos gigantes – especialmente na Tailândia, mas também na China e na Índia – são pontos principais de influência. Os números destes produtores e a evolução dos preços ainda influenciam a produção brasileira, que funciona como uma grande balizadora para o mercado global de açúcar.

Na sondagem anterior feita pelo novaCana, em setembro de 2019, 18 companhias estimaram déficits para 2019/20 que variavam entre 1 milhão e 9,7 milhões de toneladas. Na pesquisa mais recente, também com 18 empresas, o padrão se repete, porém a média do indicador subiu de 4,48 milhões para 6,88 milhões de toneladas.

A empresa que estimou o déficit mais elevado foi a MB Agro, com 10,2 milhões de toneladas, enquanto o mais baixo veio do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), que previu 544 mil toneladas.

Olhando adiante, sete consultorias já arriscaram números para 2020/21. Todas esperam um déficit, com uma média de 1,75 milhões de toneladas de açúcar demandadas além da produção. O valor mais elevado é o esperado pela MB Agro, 4 milhões de toneladas. Já o menor, da LMC Internacional, é de 587 mil toneladas.

Além disso, algumas empresas atualizaram seus números para a safra 2018/19, encerrada em outubro do ano passado. Dentre as 11 empresas consultadas, apenas a MB Agro estimou um déficit, com 1 milhão de toneladas – já o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) expressou o superávit mais elevado, com 6,56 milhões de toneladas. Na média, as consultorias estimam um superávit de 2,6 milhões de toneladas, pouco maior que a do levantamento de setembro, 1,8 milhões de toneladas.

Confira, na reportagem a seguir, gráficos comparativos das projeções, a evolução das médias, perspectivas de preços e análises do mercado global de açúcar feitas pelas seguintes empresas e consultorias:

- Abares
- Agroconsult
- BTG Pactual
- Commerzbank
- Czarnikow
- ED&F Man
- FAO
- FCStone
- Green Pool
- ISO
- Itaú BBA
- JP Morgan
- LMC
- MB Agro
- Platts
- Rabobank
- TRS
- USDA


EXCLUSIVO ASSINANTES

O texto completo desta página está
disponível apenas aos assinantes do site!

VEJA COMO É FÁCIL E RÁPIDO ASSINAR