Financeiro

Debêntures incentivadas vão bancar investimentos do RenovaBio

Os recursos devem ser utilizados inicialmente para aumentar a produtividade da indústria sucroenergética


O Estado de S. Paulo - 27 mai 2019 - 07:46

O governo federal autorizará, em junho, o setor de biocombustíveis a emitir debêntures incentivadas e captar recursos estimados em até R$ 62,3 bilhões por ano. A operação vai financiar os primeiros investimentos para implantação do RenovaBio, a nova política de combustíveis renováveis.

Os recursos devem ser utilizados inicialmente para aumentar a produtividade da indústria sucroenergética, estagnada há alguns anos, com a renovação de canaviais, a manutenção e o aumento de capacidade de usinas.

Bancos informaram ao governo já terem R$ 9 bilhões desses títulos – chamados de incentivados por não pagarem impostos – prontos para serem negociados no mercado por usinas. As instituições financeiras só aguardam uma portaria autorizando as operações, que deve ser assinada pelo presidente Jair Bolsonaro no dia 17 de junho, data da abertura no Ethanol Summit, em São Paulo.

Etanol, biodiesel, biogás e outros combustíveis renováveis serão o ponto de partida do programa de debêntures. O governo deve autorizar a emissão de títulos para outros elos da cadeia e espera trazer investimentos em infraestrutura e logística. Conta também com a aprovação da reforma da Previdência para reduzir os riscos da emissão desses títulos.


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail