BASF
Usinas

Usina de etanol de milho da Cerradinho deve demandar matéria-prima de três estados


O Estado de S. Paulo - 15 out 2018 - 07:33

Mesmo sem nenhuma usina de etanol à base de milho em Mato Grosso do Sul, o Estado deve se beneficiar do aumento da demanda pelo cereal de novas unidades que se instalam no Centro-Oeste.

O Grupo Cerradinho, que está erguendo sua primeira usina em Chapadão do Céu (GO), vai processar 390 mil toneladas do grão só no primeiro ano, que virão de Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, conta o diretor-presidente da CerradinhoBio, Paulo Oliveira Motta Jr. A fábrica deverá ser inaugurada em outubro de 2019. Em três anos, o consumo deve chegar a 550 mil t. “Vamos precisar de milho dos três Estados”.

A escolha pelo município de Chapadão do Céu é estratégica: além de a Cerradinho já ter uma usina de etanol à base de cana no local, o município fica na divisa com Chapadão do Sul (MS), onde a empresa possui um terminal de transbordo que leva combustível por ferrovia até o Estado de São Paulo. Também está próximo da fronteira com Mato Grosso.

Motta Junior estima que a usina vai consumir um quarto da produção da região e ainda estimular o cultivo do milho no verão – hoje, o plantio do cereal no Centro-Oeste é feito majoritariamente no inverno. “Existe um desejo dos agricultores locais de produzir no verão, em complemento ao plantio de soja”.

Com colaboração de Nayara Figueiredo


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail