Usinas

Lucas E3 mira pós-pandemia e fecha acordo para planta de etanol de milho no Brasil


Reuters - 07 mai 2020 - 07:04

A norte-americana Lucas E3 anunciou nesta quarta-feira um acordo com a brasileira Maracajá Bioenergia para a construção de uma planta de etanol de milho em Mato Grosso, otimista de que a demanda por combustíveis terá se recuperado quando a obra for concluída.

A Lucas E3 disse que a empresa brasileira vai investir 500 milhões de reais na construção da unidade, que ficará às margens da rodovida BR-163, principal corredor de exportação de soja e milho de Mato Grosso, com escoamento para portos no Pará.

O anúncio ocorre em um dos piores momentos da história para o mercado de etanol do Brasil, com a demanda despencando quase 50% em meio às medidas de isolamento social devido à pandemia de coronavírus.

A planta será construída no norte de Mato Grosso, maior produtor de milho do Brasil, no município de Matupá, a 680 quilômetros da capital Cuiabá.

“Nós decidimos pela construção da planta agora porque esperamos que toda essa situação com o coronavírus tenha terminado quando iniciarmos produção, daqui a um ano e meio”, disse o diretor-executivo da Maracajá Bioenergia, Cleocelio Morais, em comunicado divulgado pela Lucas E3.

A produção de etanol de milho do Brasil teve forte impulso nos últimos anos, enquanto a produção de etanol de cana segue estável. Analistas disseram que a principal razão para isso é a ampla oferta do cereal no Centro-Oeste.

Morais afirmou que a proximidade do terminal de exportação de grãos do rio Tapajós foi um dos fatores para a escolha do local de instalação da planta, tanto para vendas para a região Nordeste quanto para possíveis exportações.

Marcelo Teixeira


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail