Usinas

Íntegra faz lance vencedor e compra usina Revati, da Renuka, por R$ 263,5 milhões

Empresa foi a única a apresentar lances no certame e adquiriu unidade pelo valor mínimo


RPA News - 12 nov 2020 - 15:38

Na noite de ontem, 11, foi concluída a venda da usina Revati, da Renuka do Brasil, para o veículo de investimentos Íntegra Special Situations. Segundo informações publicadas pelo Valor Econômico, a Íntegra havia comprado R$ 1 bilhão em créditos da companhia em setembro – destes, R$ 248,5 milhões devem ser convertidos para pagamento da unidade. Além disso, a compradora deve aplicar R$ 15 milhões adicionais.

O leilão da unidade localizada em Brejo Alegre (SP) foi finalizado após 40 dias de análise dos ativos da Revati pela Íntegra, que fez uma oferta pelo valor mínimo.

De acordo com o presidente da Renuka do Brasil, Manoel Vicente Fernandes Bertoni, em áudio que vem sendo compartilhado em grupos de WhatsApp e o qual a RPAnews teve acesso, a oferta do Grupo Íntegra teve apoio dos bancos necessários para concretizar a operação.

“As poucas cláusulas solicitadas foram aceitas por nós e agora estamos diante de uma nova fase. A fase da constituição da UPI [unidade produtiva isolada] até a entrega, que será dia 19 de dezembro. Queria transmitir a todos vocês, em meu nome e em nome do conselho de administração da Renuka, que com muita alegria conseguimos vencer mais essa etapa”, comemorou Bertoni.

Ainda de acordo com o presidente da Renuka do Brasil, a companhia acredita que os compradores terão sucesso na operação. “Seremos parceiros para que as melhores condições sejam criadas para que tanto a Usina Madhu quanto a Revati, agora em novas mãos, tenham o volume de cana necessário. Que os produtores, parceiros, funcionários e todos nós tenhamos um futuro brilhante pela frente. Temos muito trabalho”, adicionou.

Em maio deste ano, os credores da Renuka do Brasil aprovaram um novo plano de recuperação judicial, que previa o leilão da usina Revati. A Renuka está em recuperação judicial há cinco anos e sua dívida até maio deste ano, de acordo com o Valor Econômico, era de R$ 3,2 bilhões.

A Usina Revati foi leiloada na forma de UPI, ou seja, sem passivos. O plano de recuperação judicial aprovado em maio, previa que o arrematante deveria dispender no mínimo R$ 15 milhões à vista, garantindo o pagamento imediato dos credores trabalhistas e de micro e pequena empresa.

Conforme reportagem do Valor Econômico, os R$ 15 milhões da Íntegra virão do sócio Sérgio Firmeza Machado, da ARC Capital, gestora especializada em ativos estressados. Mas o pagamento também poderá contar com apoio de mais dois investidores, que estão sendo prospectados pelo diretor da ARC Capital.

Segundo as fontes consultadas, para retomar as operações na usina, a Íntegra planeja investir mais R$ 150 milhões, que devem garantir a oferta de cana e a manutenção das atividades. Além disso, o grupo sucroenergético deve fornecer 1,3 milhão de toneladas de cana colhida na área de influência da usina Revati até a safra 2023/24.

Com informações adicionais do Valor Econômico; edição novaCana.com


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail