Política

Setor de biodiesel se articula para garantir mistura de 20% em lei

Garantia da adoção do B20 deve ser incluída na MP 1118, da tributação dos combustíveis, que vence no fim do mês


EPBR - 09 ago 2022 - 11:48

O relator da MP 1118, Danilo Forte (União Brasil-CE), pretende incluir no texto as principais propostas da Frente Parlamentar Mista do Biodiesel (FPBio). Dentre elas está assegurar o aumento da mistura de biodiesel. A MP original trata de tributação dos combustíveis.

O objetivo é reduzir a margem para o governo federal diminuir o mandato de mistura, hoje em 10% por decisão do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE).

Com isso, a Frente Parlamentar do Biodiesel quer garantir a retomada do B15, previsto originalmente para 2023, além do aumento até B20 nos anos subsequentes.

“Estamos terminando ainda o formato. Queremos dar competitividade maior aos biocombustíveis e, ao mesmo tempo, evitar o desabastecimento nacional do mercado, que sofre impacto da guerra”, explicou o deputado.

Se avançar, a MP precisa ser votada até o final de agosto. Ela perde a validade em setembro, mês em que os parlamentares pretendem se dedicar às eleições.

A articulação na MP 1118 ocorre em meio à pressão de parlamentares da base, preocupados com as repercussões políticas de decisões recentes do governo de Jair Bolsonaro (PL).

A dois meses das eleições, o governo deixou setores do agronegócio insatisfeitos com a flexibilização dos prazos para o cumprimento das metas do programa RenovaBio.

O setor de biodiesel teme também a possibilidade de perder reserva de mercado, em meio às discussões sobre a inclusão do diesel verde – produzido pela Petrobras a partir do coprocessamento de óleo vegetal com diesel fóssil nas refinarias – no mandato do biodiesel. O tema, contudo, não tem consenso dentro do próprio governo.


PUBLICIDADE FMC_VERIMARK_INTERNO FMC_VERIMARK_INTERNO

Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE
STOLLER
x