2ª Geração

Inbicon: pioneira na conversão de biomassa


- novaCana.com - - 24 jan 2013 - 09:00 - Última atualização em: 08 fev 2013 - 14:13
inbiconPERFIL DA EMPRESA
A Inbicon foi pioneira da tecnologia de conversão de biomassa no fim dos anos 90. Usando vapor, enzimas e leveduras, a Inbicon transforma lignocelulose leve (por exemplo, palha de trigo, caules de milho, gramíneas energéticas) em etanol celulósico, bem como lignina renovável e melaço de açúcar industrial em energia e bioquímicos. A Inbicon é uma subsidiária da DONG Energy, a maior companhia dinamarquesa de energia, com mais de 6.000 funcionários e receita de US$ 9,8 bilhões (2011). A DONG Energy investiu mais de US$ 100 milhões para desenvolver e comercializar a tecnologia Inbicon, que é licenciada mundialmente.

INICIOU OPERAÇÕES | 2009
inbicon inicio operacoes 2009[Legenda da foto: Instalação de demonstração da Inbicon]

INSTALAÇÃO DE DEMONSTRAÇÃO
LOCALIZAÇÃO: Kalundborg, Dinamarca.
MATÉRIA-PRIMA: Palha de trigo.
PRODUTOS: Etanol celulósico, eletricidade renovável.
CAPACIDADE: 1,5 milhões de galões por ano de etanol celulósico, 11.400 toneladas métricas de pellets combustíveis de lignina, e 13.900 toneladas métricas de melaços de açúcar industriais.
PERFIL DA PLANTA: Plenamente operacional. Integrada com estação de energia adjacente para usar o excesso de vapor. Etanol celulósico vendido em 98 postos de combustível Statoil (mistura E5 de gasolina). Coprodutos da lignina substituem o carvão na geração de energia dinamarquesa. O coproduto melaço de açúcar usado para produção de biogás.

Parceiros da Inbicon

Marketing: A Leifmark, LLC é o parceiro independente da Inbicon autorizada a licenciar a tecnologia Inbicon Biomass Refinery na América do Norte. A Leifmark desenvolveu projetos dos Estados Unidos, incluindo os projetos de Fair Oaks (IN) e Spiritwood (ND).
Engenharia EUA: Para garantir o controle de qualidade para projetos dos Estados Unidos, a Inbicon certificou três firmas americanas para executar a engenharia dos projetos americanos: Harris Group (Seattle,WA); Pöyry (Appleton, WI); e APS (Richmond, VA).
Enzimas: Novozymes; DuPont Genencor.
Financiamento do projeto: A Inbicon está trabalhando com o Fundo de Exportação Dinamarquês (EKF) para trazer garantias de empréstimos a projetos norte americanos.

inbicon etanol produzido 09012013O etanol celulósico produzido na planta da Inbicon em Kalundborg é vendido atualmente em quase 100 postos de combustíveis Statoil na Dinamarca em misturas E5 (5% de etanol celulósico, 95% de gasolina).

CONCLUSÃO ESTIMADA | 1º TRIMESTRE 2016
inbicon projeto comercial 2016
[Legenda da foto: Conceito Maabjerg Energy]

PROJETO COMERCIAL
LOCALIZAÇÃO: Maabjerg, Dinamarca.
STATUS: Engenharia e permissões.
MATÉRIA-PRIMA: Palha de trigo (50 toneladas por hora).
PRODUTOS: Etanol celulósico, biogás, eletricidade renovável, fertilizante renovável, biocombustível sólido.
CAPACIDADE: 20 milhões de galões por ano (etanol celulósico); 1,7 bilhões de pés cúbicos (biogás); eletricidade renovável para 25.000 moradias; 565.000 toneladas por ano de fertilizante renovável; 56.000 toneladas por ano de combustível sólido para energia/ aquecimento.
PERFIL DO PROJETO: Integra seis tecnologias dinamarquesas em uma área de 247 acres no noroeste de Jutland; utilizará 400.000 toneladas de palha de trigo e 770.000 toneladas de resíduos animais por ano.

CONCLUSÃO ESTIMADA | 3º TRIMESTRE 2015
inbicon projeto comercial 2015
[Legenda da foto: Conceito Dakota Spirit AG Energy]

PROJETO COMERCIAL
LOCALIZAÇÃO: Spiritwood, ND (Dakota do Norte).
STATUS: Engenharia e permissões.
MATÉRIA-PRIMA: Palha de trigo (25 toneladas por hora).
PRODUTOS: Etanol celulósico, energia renovável, melaço industrial.
CAPACIDADE: Mais de 10 milhões de galões por ano de etanol celulósico; 83.000 toneladas por ano de pellets biocombustíveis renováveis; 94.000 toneladas por ano de melaço industrial.
PERFIL DO PROJETO: Projeto da Great River Energy; adjacente a sua planta de cogeração de energia e aquecimento Spiritwood Station em Dakota do Norte. Uma planta convencional de etanol de moagem seca está planejada para a Fase 1, com a produção de etanol celulósico de palha de trigo adicionada à Fase 2 (usando a tecnologia Inbicon Biomass Refinery). Parceiros incluem North Dakota Utilization Commission (APUC) e North Dakota Industrial Comission-Renewable Energy Council.

CAMINHO PARA IMPLANTAÇÃO COMERCIAL

2003
Primeira planta piloto processa 2,4 toneladas métricas/dia de biomassa

2005
Segunda planta piloto processa 24 toneladas métricas/dia de biomassa

2009
Inauguração da Refinaria de Biomassa Inbicon (Kalundborg, Dinamarca); projeto exibido na COP 15 em Copenhagen

2010
Unidade Inbicon Kalundborg processa 100 toneladas métricas/dia
Projetado modelo em escala comercial; 1200 toneladas métricas/dia
Primeira a vender etanol celulósico a consumidores: contrato assinado com Statoil para vender misturas CE5
Primeira licença da tecnologia para Mitsui para refinarias no Sudeste Asiático

2011
Apresentado projeto de modelo integrado para processamento de resíduos agrícolas e fluxos líquidos de dejetos em 20 milhões de galões de etanol celulósico por ano e mais de 50 MW de energia renovável

2012
Apresentado projeto de modelo integrado "bolt on" para melhorar a intensidade de carbono de etanol de grãos dos Estados Unidos

2013
Engenharia e permissões em refinarias dos EUA e Canadá
Início da construção em refinarias comerciais americanas

2015-16
Comissionamento de duas refinarias comerciais nos EUA
Comissionamento da primeira refinaria no Canadá
Comissionamento de uma refinaria adicional na Dinamarca

Fonte: Cellulosic Biofuels Industry Progress Report 2012-2013 - Advanced Ethanol Council
Tradução e adaptação novaCana.com