PUBLICIDADE
ARMAC
Milho

Exportação de milho por Paranaguá dispara com fornecimento ucraniano bloqueado


Reuters - 22 jun 2022 - 08:05

As exportações brasileiras de milho pelo porto de Paranaguá (PR) cresceram atípicos 161% nos primeiros cinco meses do ano, em parte devido à falta de produto da Ucrânia no mercado, de acordo com um comunicado nesta terça-feira, 21, da autoridade portuária local.

O volume de milho a granel exportado entre janeiro e maio via Paranaguá atingiu 1,546 milhão de toneladas, ante 591,538 mil toneladas nos mesmos meses do ano anterior, informou o comunicado.

Os dados mostram como o conflito na Ucrânia está fazendo com que os compradores de milho busquem suprimentos de origens alternativas.

O Brasil não é um grande exportador de milho nesta época do ano, segundo o gerente geral da Interalli, Helder Catarino, que opera no porto. Ele disse que após a invasão russa da Ucrânia, o país não conseguiu enviar milho pelo Mar Negro, como de costume.

“O Brasil entrou porque ainda tinha estoques, com boas margens de preço. Ou seja, teve demanda e oferta”, disse Catarino em comunicado.

Abrir espaço para o milho safrinha em armazéns também impulsionou as exportações do produto nas primeiras semanas do ano, disse a autoridade portuária referindo-se à segunda safra de milho do Brasil.

A segunda safra de milho do Brasil, que representará cerca de 75% da produção nacional nesta temporada, está sendo colhida nos campos agora e está chegando gradualmente aos silos do porto de Paranaguá desde o início de junho.

Agricultores do Paraná, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul forneceram a maior parte do milho enviado por Paranaguá, disse o comunicado. Egito, Irã, Espanha, Coreia do Sul e Portugal foram os principais destinos.

Ana Mano


PUBLICIDADE BASF GIGA INTERNAS BASF GIGA INTERNAS

Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE
STOLLER
x