PUBLICIDADE
BN novacana 1300x150
Milho

Conab estima produção da safra de milho 2021/22 em 114,58 milhões de toneladas


Agência Estado - 12 mai 2022 - 09:54 - Última atualização em: 13 mai 2022 - 08:25

Atualização (13/05, às 08h25): A Conab realizou uma retificação em seus números para a safra de grãos. O título deste texto e o conteúdo abaixo foram alterados para se adequarem aos novos valores.

A produção brasileira de grãos na safra 2021/22 deve atingir 270,2 milhões de toneladas, volume que representa um aumento de 5,7% em comparação com as 255,51 milhões de toneladas da safra anterior 2020/21. Os dados fazem parte do 8º Levantamento da Safra de Grãos da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), divulgado nesta quinta-feira, 12, e posteriormente retificado.

O resultado também apresenta um ligeiro ganho, de 0,3%, quando comparado com a estimativa publicada no mês anterior (269,31 milhões de toneldadas). “Essa melhora na produção é explicada pela maior área plantada de milho segunda safra, além do melhor desenvolvimento no final do ciclo das lavouras, sobretudo de arroz, milho e soja”, informa a estatal, em comunicado.

Para o milho é esperada uma produção total 114,58 milhões de toneladas, elevação de 31,5% em comparação com a safra 2020/21 (87,1 milhões de toneladas). A janela mais alongada para plantio da segunda safra, somada às condições de mercado, favoreceu o crescimento de área do cereal.

“Durante as viagens de campo, os técnicos da companhia identificaram áreas semeadas, inclusive, fora da janela ideal, o que demonstra que a rentabilidade esperada para cultura ainda é atrativa para os produtores”, ressalta o presidente da Conab, Guilherme Ribeiro.

Esse aumento reduziu o impacto negativo verificado pelas condições climáticas adversas em importantes regiões produtoras para a segunda safra do grão, como Goiás e parte de Mato Grosso.

“A atual safra não irá atingir a produtividade potencial, mas ainda tende a ser uma boa produção principalmente pelas lavouras plantadas mais cedo. No entanto, ainda precisamos ter atenção com o desenvolvimento da cultura. A maior parte do milho semeado se encontra em estágios de desenvolvimento em que o clima é preponderante”, pondera o diretor de informações agropecuárias e políticas agrícolas, Sergio De Zen.

Ele continua: “Para Mato Grosso e Goiás há uma tendência de déficit hídrico. Já em Mato Grosso do Sul e no Paraná, a maior preocupação é com o risco de geadas”.

A segunda safra de milho, também chamada de safrinha, deve atingir 87,69 milhões de toneladas, aumento de 44,4% em comparação com o ano passado (60,74 milhões de toneladas).

Em relação às exportações, a projeção da Conab para o milho foi mantida em 37 milhões de toneladas. Se o montante for confirmado, os embarques para o mercado externo terão um incremento de 77,9% em relação à safra anterior.

Essa elevação é explicada pelo crescimento da produção brasileira alinhada à demanda internacional aquecida.

Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE
Card image


x