Internacional: Açúcar

Cofco espera ganho adicional para açúcar com seca na Tailândia


Bloomberg - 11 fev 2020 - 09:42

O açúcar, uma das commodities com melhor desempenho este ano, pode estender o rali diante da pior seca das últimas décadas na Tailândia, o que prejudica a produção, segundo a Cofco International.

Traders ainda não precificaram totalmente o tamanho dos danos causados à safra desta temporada no segundo maior exportador do mundo, disse Marcelo de Andrade, responsável por soft commodities no braço de trading da maior empresa de alimentos da China. A maioria dos analistas ainda mantém expectativas de uma safra pelo menos 1 milhão de toneladas maior do que a previsão da Cofco, disse.

Os contratos futuros de açúcar negociados em Nova York acumulam alta de 11% este ano em meio à oferta mais apertada. Os preços sobem mesmo com a propagação do coronavírus na China que afeta as cotações de várias commodities, como petróleo, cobre e soja.

"Se a história da Tailândia está precificada?", disse Andrade em entrevista antes do início da Dubai Sugar Conference, no domingo. "Acho que não. A maioria das pessoas ainda fala de 10 milhões a 10,5 milhões de toneladas."

A produção de açúcar da Tailândia deve cair cerca de 30%, para 9 milhões a 10 milhões de toneladas nesta temporada devido à seca, que pode acabar sendo a pior em 40 anos, segundo a associação Thai Sugar Millers. A Cofco estima produção de 9 milhões de toneladas, mas poderia ser menor, disse Andrade. Ele prevê que pode levar dois anos para a safra se recuperar.

A colheita tailandesa desta temporada também foi atingida pela baixa renovação dos canaviais, segundo a Cofco. O país passa por um processo semelhante ao ocorrido no Brasil há muitos anos, quando a produção inicial caiu na esteira da expansão da mecanização, disse Andrade.

"O Brasil levou 10 anos para aprender a lidar com a mecanização", disse Andrade, acrescentando que as usinas tailandesas terão que se acostumar com as máquinas e, por enquanto, provavelmente estão dirigindo sobre as soqueiras, prejudicando a colheita.

Com a produção tailandesa em declínio, o Brasil precisará produzir mais açúcar para preencher o déficit, disse Andrade. As refinarias precisarão de açúcar bruto, já que muitas estão se tornando rentáveis.

As usinas do centro-sul devem esmagar 591 milhões de toneladas de cana e produzir de 30 milhões a 31 milhões de toneladas de açúcar na temporada que começa em abril, segundo estimativas da Cofco. O volume supera as 26,5 milhões de toneladas desta temporada, de acordo com dados da Única.

A produção no centro-sul ainda pode ser maior, já que as chuvas atuais beneficiam os canaviais, explicou.

"O Brasil produzirá mais açúcar", disse. "No momento, os preços precisam subir mais para que a produção atinja 32 milhões de toneladas", afirmou, acrescentando que uma contínua alta poderia desviar mais cana para a produção de açúcar às custas do etanol.

Daniela Milanese