Usinas

Raízen suspende atividades na usina Santa Helena; 85 serão demitidos, diz sindicato

Outros 283 trabalhadores serão realocados para outras unidades; empresa criou pacote de compensação com extensão de benefícios por seis meses para demitidos


G1 - 07 nov 2022 - 08:57
imae intro
Usina Santa Helena, em Rio das Pedras (SP), terá atividades suspensas por, pelo menos, dois anos

A Raízen anunciou que suspendeu nesta sexta-feira, 4, as atividades da usina Santa Helena, localizada em Rio das Pedras (SP). De acordo com a empresa, o objetivo é otimizar a produção. O sindicato dos trabalhadores aponta que 85 profissionais serão demitidos e 283 serão realocados para outras unidades da rede.

A planta produz açúcar e etanol e fica localizada no Jardim Bom Jesus, às margens da Rodovia Cornélio Pires (SP-127). Em nota, a Raízen informou que a suspensão das atividades será, inicialmente, por um período de dois anos, “buscando otimizar a atuação e a produção da Raízen no polo Piracicaba, reduzindo a capacidade ociosa das unidades produtoras da empresa”.

A companhia também comunicou que não diminuirá sua produção ou moagem total, que os compromissos com seus fornecedores parceiros serão cumpridos e que um plano de expansão anunciado neste ano não será afetado.

“A Raízen informa que está aberta ao diálogo com parceiros e colaboradores a fim de atenuar ao máximo os efeitos socioeconômicos da medida. Ainda reitera que uma grande parte dos colaboradores serão reabsorvidos pela companhia e agradece a todos os desligados pelo seu tempo de trabalho e dedicação. A empresa cumpre integralmente a legislação trabalhista vigente no Brasil e preza pelo bem-estar de seus colaboradores”, relata.

Impacto emocional e econômico

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Piracicaba e Região, Fânio Luis Gomes, afirmou que a notícia traz impactos emocionais e financeiros.

“Houve um impacto primeiro pela notícia, porque ninguém estava preparado para isso. Um impacto emocional muito grande”, afirma e completa: “Para os dois municípios, Piracicaba e Rio das Pedras, também é um impacto econômico, uma vez que sai uma empresa de grande e médio porte do município. E no nosso caso, que é mais social dos trabalhadores, nós estivemos lá hoje conversando com as pessoas, mas fica aquele sentimento de perda, por mais que bastante gente esteja sendo realocada”.

Segundo ele, os setores atingidos pela demissão são os de indústria e administração. Já os trabalhadores realocados serão convidados a trabalhar na usina Costa Pinto, em Piracicaba, ou nas unidades de Capivari (SP) e Rafard (SP).

“A princípio, são trabalhadores de Piracicaba que trabalham na Santa Helena, e quem vai para a Costa Pinto, para este não tem impacto nenhum. Ele vai sair da casa dele, subir no mesmo ônibus e só vai mudar de linha. Para quem vai ser convidado para Capivari, vai dar preferência aos trabalhadores de Rio das Pedras, que estão perto”, acrescentou.

Acabadas as vagas disponíveis nessas duas localidades, as opções serão em Araraquara (SP), Jaú (SP) e Barra Bonita (SP). “Se a pessoa preferir ir morar em Barra Bonita, vai ser garantido um aluguel por um prazo e uma certa estabilidade para ele poder se adaptar no local que ele vai”, explica.

Pacotes de compensação

A empresa também anunciou pacotes de compensação para reduzir o impacto econômico para os profissionais demitidos. Gomes informou que se trata da manutenção de alguns benefícios por mais seis meses após a demissão.

“Será estendido aos demitidos um pacote de extensão do plano de saúde por seis meses, sem custos. [Plano] odontológico, seguro da vida e a cesta alimentar também serão estendidos durante esse prazo. E as pessoas que têm tempo de casa maior vai ser estudado um abono para cada trabalhador. Mas aí não dá para eu saber os valores porque cada um tem um valor diferente”, explica.

Rodrigo Pereira


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE
STOLLER
x