Usinas

As medidas adotadas pelas usinas para seguirem funcionando em meio à pandemia

O clima é de insegurança e os preços são incertos, mas moagem foi iniciada e produção de álcool 70 está a todo vapor


novaCana.com - 14 abr 2020 - 09:35

A sociedade como um todo está tendo que se readaptar. As medidas de proteção contra o coronavírus pedem por isolamento, o que tem influência direta no consumo global, dos combustíveis até a alimentação.

Para as empresas, o momento é desafiador. Manter rendimentos em momentos de portas fechadas e redução na demanda pode ser difícil, e a busca por alternativas faz parte da atual rotina, mesmo nas grandes companhias.

No setor sucroenergético, não seria diferente. O cenário está desafiador para as usinas especialmente graças às alterações nos preços do açúcar e do etanol: enquanto o biocombustível está em baixa devido à guerra do petróleo, a commodity teve um momento de alta, mas está à mercê de uma super produção brasileira e pode cair novamente.

Com o surto do coronavírus, as usinas estão vendo o consumo de combustíveis, e mesmo do açúcar, cair. Além disso, as distribuidoras estão refazendo contratos. Para completar, até o deslocamento dos funcionários, assim como a disponibilidade de trabalhadores, está reduzido.

Neste novo cenário, a dúvida que fica é como a pandemia vai influenciar na produção da safra 2020/21, que acabou de começar, e nas receitas das usinas.

Decretos governamentais e estaduais definiram as atividades do setor sucroenergético como essenciais, ou seja, elas devem ser mantidas mesmo em momento de paralisação dos serviços. Quando questionados, grandes grupos do setor afirmaram que seguem com suas produções, tendo tomado cuidados específicos para garantir a segurança daqueles que seguem com trabalho em campo, e possibilitando trabalho remoto para os que são possíveis.

Além disso, todos reafirmaram seu compromisso com a produção, e até distribuição, de álcool 70 sem grandes influências na produção dos outros produtos, como etanol carburante e açúcar.

Em uma semana, 250 mil litros de etanol foram entregues nos estados de São Paulo, Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul e Espírito Santo. Já outras usinas se comprometeram com doações para Minas Gerais, Alagoas e Pernambuco.

Confira, na versão completa, restrita para assinantes, as medidas e perspectivas de companhias como:

- Raízen
- São Martinho
- Atvos (antiga Odebrecht Agroindustrial)
- Biosev
- Zilor
- Tereos Internacional
- Coruripe
- Copersucar
- Santa Terezinha
- FS Bioenergia
- Cerradão


EXCLUSIVO ASSINANTES

O texto completo desta página está
disponível apenas aos assinantes do site!

VEJA COMO É FÁCIL E RÁPIDO ASSINAR