BASF
Usinas

João Lyra e os filhos ‘brigam’ na Justiça por arrendamento da Usina Guaxuma


Jornal Extra (AL) - 04 nov 2016 - 12:11

O empresário João José Pereira de Lyra (João Lyra), 85, sócio majoritário da falida Laginha Agroindustrial S/A., entrou com documentação de manifesto na 1ª Vara da Comarca de Coruripe (AL) sobre a Petição que visa impedir o arrendamento da Usina Guaxuma em Alagoas.

Em petição apresentada à comarca de Coruripe em 22 de junho de 2016, Maria de Lourdes Pereira de Lyra e Guilherme José Pereira de Lyra, filhos de João Lyra, pediam a substituição do pai na administração da massa falida da Laginha Agroindustrial S/A.

Na ação, os requerentes alegaram ter comprovação de gastos pessoais excessivos, despesas injustificáveis, descapitalização injustificada da empresa e a negativa de prestação de informações solicitadas pelo Administrador Judicial ou pelos demais membros do Comitê de Credores.

João Lyra criticou a atitude dos filhos no documento enviado à 1ª Vara da Comarca de Coruripe. "Definitivamente é mais uma tentativa de herança de pessoa viva, onde mais uma vez há a exposição de um processo de interesses patrimoniais travestido de interdição", disse.

O arrendamento da Usina Guaxuma encontra-se em estágio avançado e o empresário João Lyra teria feito duas exigências para concordar com a proposta. A primeira seria a exigência de adiantamento de R$ 7,2 milhões do contrato, para pagamento de dívidas trabalhistas. Já a outra seria de priorizar contratação de antigos trabalhadores da empresa na retomada de funcionamento a indústria. As duas exigências foram aceitas pelos arrendatários – Usina Coruripe e Gran Bio.

Conforme documento, apresentado no dia 25 de outubro, cerca de 3000 postos de empregos serão criados com o arrendamento da unidade industrial. Entre outros pedidos, João Lyra solicita que o Juiz reconheça a má fé dos filhos com a petição – “[Que] Seja reconhecida a litigância de má-fé dos requerentes, aplicando-se as reprimendas legais, pois não é a primeira vez que abusam do direito de petição e tumultuam esse processo“, encerra.

A resposta da solicitação deve ser emitida nas próximas semanas.