Usinas

Indústrias do etanol de milho se reúnem com ANP e pedem agilidade nos processos


Agência Estado - 18 nov 2022 - 11:52

Representantes de 14 indústrias produtoras de etanol de milho se reuniram ontem com integrantes da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), em Sinop (MT), para discutir sobre eficiência e agilidade nos processos de regulação. A iniciativa foi promovida pela União Nacional do Etanol de Milho (Unem).

O evento teve início na quarta-feira, 16, com uma visita às instalações da Inpasa, produtora multinacional paraguaia de etanol de milho. Em nota, o diretor da ANP, Cláudio Souza, afirmou que a visita foi uma oportunidade para conhecer de perto o setor.

“É importante essa aproximação entre agentes regulador e regulado para que possamos conhecer e escutar as demandas de quem está na ponta e assim ter uma atuação mais realista com o mercado”, disse.

O presidente-executivo da Unem, Guilherme Nolasco, afirmou que a troca de experiências e informações tende a trazer mais agilidade aos processos de regulação. “O distanciamento da agência reguladora muitas vezes provoca atrasos e traz prejuízos financeiros para quem está na ponta e precisa dar início à produção”, argumentou Nolasco.

A expectativa da Unem é que a produção de etanol de milho passe dos atuais 4,5 bilhões de litros na safra 2022/23 para 10 bilhões de litros em 2030/31, alcançando 22% do mercado de etanol brasileiro. O país tem capacidade instalada para produção de 5 bilhões de litros por ano, no momento.

Atualmente, o Brasil tem 18 indústrias do biocombustível em operação, das quais oito unidades exclusivas para produção de etanol de milho e dez flex, que podem processar o biocombustível a partir de cana e de milho. Outras nove indústrias do etanol de milho já têm autorização para construção, segundo a Unem.

Gabriela Brumatti


PUBLICIDADE BASF_NOV_INTERNAS BASF_NOV_INTERNAS

Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE
STOLLER
x