Usinas

[Entrevista] FS Bioenergia confirma projetos para quatro novas usinas de etanol de milho

Presidente da companhia, Rafael Abud fala ao NovaCana sobre a expansão do setor, o mercado de milho no Brasil, os planos da companhia e a desistência – por enquanto – da entrada na bolsa de valores


NovaCana - 09 set 2021 - 08:51
“Temos colhido resultados acima do esperado”, garante o presidente da FS Bioenergia, Rafael Abud

Na ativa desde 2017, a FS Bioenergia foi uma das primeiras companhias a apostar na produção de etanol totalmente a partir do milho. Até então, estavam em operação apenas usinas que aproveitavam a entressafra da cana-de-açúcar para utilizar o grão e manter sua produção durante todo o ano. Mas a FS foi além, estabelecendo a sua primeira planta na cidade de Lucas do Rio Verde (MT) e tendo o milho como matéria-prima principal.

O presidente da FS, Rafael Abud, explica que o projeto começou muito antes da instalação da usina, em 2013. A iniciativa foi motivada por estudos que mostravam que o estado de Mato Grosso tinha um alto índice de crescimento na produção do grão e um aumento relevante da demanda por etanol, com a alta comercialização dos veículos flex.

“Existia a oportunidade de pegar essa matéria-prima e agregar valor, produzindo biocombustível, atendendo a demanda crescente e ainda fabricando produtos de nutrição animal. Essa foi a tese de onde nasceu a FS”, relata.

Além do etanol, a empresa também aposta nos produtos de alta fibra e proteína secos (DDGS) e úmidos (WDG), advindos do processamento do milho. De acordo com Abud, estes coprodutos adicionam volume ao nível de produção da FS: “Eles têm um papel importantíssimo na rentabilidade e no resultado da companhia, para nós é um produto tão relevante quanto o próprio etanol”.

Atualmente, além da unidade de Lucas do Rio Verde, a FS Bioenergia possui uma segunda planta em Sorriso, também no Mato Grosso. Ambas as unidades passaram por processos de ampliação e hoje operam em sua total capacidade. Na última safra, elas produziram 1,4 bilhão de litros de etanol anidro.

Mas este é apenas o começo da expansão. Abud conta que a empresa já adquiriu terrenos com licença ambiental em quatro outros munícipios no mesmo estado. O plano da empresa é alcançar o patamar de produção de mais de 4 bilhões de litros de anidro por ano, quando todas as seis unidades estiverem em pleno funcionamento.

Além disso, a empresa também tem planos de diminuir suas emissões de carbono. No programa RenovaBio, a planta de Lucas do Rio Verde tem a segunda maior nota para o etanol anidro e a quinta maior no hidratado, mas seu nível de elegibilidade é de 32,05%. Já a unidade de Sorriso, que está se certificando no programa, deve estrear com 84% de elegibilidade, segundo a empresa.

A FS também tem planos de se tornar a primeira usina com pegada de carbono negativa, com um sistema de captura e estocagem de CO2, que está passando por fase de estudo de viabilidade. Segundo o presidente da companhia, se tudo ocorrer conforme planejado, o projeto poderá iniciar a operação até dezembro de 2023.

Em entrevista exclusiva ao NovaCana, o presidente da FS Bioenergia conta mais sobre a trajetória da empresa, perspectivas do mercado de milho e planos para o futuro da companhia.


EXCLUSIVO ASSINANTES

O texto completo desta página está
disponível apenas aos assinantes do site!

VEJA COMO É FÁCIL E RÁPIDO ASSINAR