Usinas

Atvos atinge previsão de moagem em 2019/20 com 26,9 milhões de toneladas de cana

Volume de matéria-prima processada corresponde a 1% de crescimento ante safra anterior; sucroenergética pretende repetir o resultado em 2020/21


novaCana.com - 15 mai 2020 - 10:41

Em meio a um processo de recuperação judicial e a uma disputa pelo controle da empresa, a sucroenergética Atvos (antiga Odebrecht Agroindustrial) divulgou que encerrou a safra 2019/20 com uma moagem de 26,9 milhões de toneladas de cana-de-açúcar. O valor representa um crescimento de 1% em comparação com 2018/19 e está 100 mil toneladas abaixo da expectativa anunciada para a temporada.

De acordo com os números divulgados pela empresa, que controla nove usinas, na temporada foram produzidos 2,14 bilhões de litros de etanol hidratado e anidro, além de 235 mil toneladas de açúcar VHP e da cogeração de 2,8 mil GWh de energia elétrica a partir da biomassa. Estes montantes também estão em linha com a projeção divulgada anteriormente.

Ainda segundo a Atvos, o teor médio de açúcar total recuperável (ATR) registrado no período foi o melhor resultado no histórico da empresa, com 133,8 kg/ha, 2% superior ao registrado na temporada 2018/19.

“Esta marca é resultado de melhorias no manejo varietal e no uso intensivo de maturadores em mais de 100 mil hectares. Manter o nível de produtividade da safra anterior foi outra importante conquista”, afirma o diretor de operações e engenharia da Atvos, Celso Ferreira.

Conforme a empresa, seus canaviais abrangem um total de 498 mil hectares. Em 2019/20, o plantio em áreas próprias e de fornecedores somou 67 mil hectares – 92% em áreas de renovação –, uma diminuição de 7,6% em comparação com a safra anterior. A redução, segundo a sucroenergética, aconteceu principalmente por conta de restrições de caixa.

Especificamente, o plantio de fornecedores alcançou 32,1 mil ha, um crescimento de 13%. Além disso, eles foram responsáveis por 34% da matéria-prima processada pela empresa, superando a participação de 30% vista em 2018/19.

Perspectivas para 2020/21

Para a atual temporada, a Atvos projeta uma manutenção da moagem em cerca de 26,9 milhões de toneladas de cana. Este volume seria suficiente para a produção de 1,9 bilhão de litros de etanol e 447 mil toneladas de açúcar. A empresa também pretende investir R$ 350 milhões em renovação e expansão de canaviais, equipamentos agrícolas e aprimoramentos industriais.

“Com a aprovação do plano de recuperação judicial, esperamos concluir nossa reestruturação financeira e iniciar um novo ciclo de investimentos que prevê cerca de R$ 1,1 bilhão de recursos por safra para as áreas agrícola e industrial e, assim, buscarmos alcançar nossa capacidade máxima de operação”, reforça o diretor financeiro da empresa, Alexandre Perazzo.

A votação para aprovação do plano de recuperação da Atvos está marcada para a próxima terça-feira (19). Entretanto, há a possibilidade de que isso não aconteça: o fundo Lone Star – que recentemente adquiriu o controle da companhia – afirmou que não está disposto a aceitar o documento.

De acordo com a proposta, a dívida financeira da Atvos, que totaliza quase R$ 12 bilhões, seria reduzida para R$ 6 bilhões com a venda do controle da companhia. Entretanto, a sucroenergética passou para as mãos do Lone Star por um valor bastante inferior: US$ 5 milhões. A forma como ocorreu a negociação das ações, porém, está sendo contestada pela companhia.

novaCana.com