BASF
Usinas

Atvos prevê moagem de 27 mi t de cana em 2019/20 e espera renegociação de dívidas


Agência Estado - 12 abr 2019 - 07:08

A Atvos, braço sucroenergético do Grupo Odebrecht, prevê moagem de 27 milhões de toneladas de cana-de-açúcar em suas oito usinas na safra 2019/2020, iniciada oficialmente no em 1º de abril. Se confirmado, o volume será pouco mais de 1% superior ao de 26,7 milhões de toneladas do fechamento da safra 2018/2019.

O volume estimado para ser processado corresponde, no entanto, a 75% da capacidade de moagem das usinas da Atvos, de 36 milhões de toneladas.

“Manter nossa produção neste patamar é fundamental para a geração de caixa que necessitamos para seguirmos nossos investimentos e criarmos condições para atingir nossa maturidade operacional”, informou Alexandre Perazzo, vice-presidente de finanças e relações com investidores da empresa.

Com dívidas estimadas em R$ 12 bilhões, a Atvos informou que confia na conclusão do processo de renegociação com os credores para seguir seu plano de longo prazo no setor sucroenergético.

“O equilíbrio financeiro é fundamental para continuarmos nossa trajetória de crescimento e fazermos frente às oportunidades projetadas para os próximos anos, com o objetivo de acelerar a execução dos planos de investimento, permitindo a expansão agrícola, ganhos de produtividade e liquidez para otimização do capital de giro”, completou Perazzo.

Segundo maior produtora de etanol no País, a Atvos projeta produção de 2,1 bilhões de litros do biocombustível no período atual, ante 2,08 bilhões de litros em 2018/2019. O volume da safra passada foi 3% superior ao da 2017/2018 e foi o recorde da companhia.

Já a produção de açúcar da Atvos deve somar 237 mil de toneladas em 2019/20, alta de 11,8% sobre as 212 mil toneladas produzidas do adoçante na safra passada.

Da cana moída em 2018/19 pela Atvos, 70% foram de lavouras próprias e 30% de fornecedores. Entre áreas próprias e de parceiros, a empresa encerrou a safra com plantio de 71 mil hectares, 83% em renovação de lavouras.

A companhia ratificou também a expectativa de investimentos de R$ 600 milhões em renovação e expansão de canaviais, equipamentos agrícolas e aprimoramentos industriais para 2019/20, conforme adiantou em agosto do passado a Coluna do Broadcast Agro.

Gustavo Porto