Tecnologia

Embrapa e usina Granelli fecham acordo de cooperação de R$ 466 mil

Iniciativa é voltada para o desenvolvimento de sistema de rastreabilidade, utilizando tecnologia blockchain


novaCana.com - 04 nov 2020 - 14:13

Pelos próximos dois anos, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), a usina Granelli, localizada em Charqueada (SP), e a empresa de tecnologia de rastreabilidade Safe Trace devem trabalhar em conjunto. Elas firmaram um acordo de cooperação técnica para “integração de esforços”, com o objetivo de realizar trabalhos de pesquisa.

O documento foi oficialmente assinado em 29 de outubro, sendo publicado no Diário Oficial da União de hoje, 4. De acordo com o texto, o valor do acordo é de R$ 466 mil.

Segundo a empresa de pesquisa, a parceria começou a ser articulada em fevereiro. “A iniciativa faz parte do esforço de reunir informações seguras dessa cadeia produtiva em um sistema único voltado ao setor sucroalcooleiro”, afirmou a Embrapa na ocasião.

Conforme o acordo, as companhias devem trabalhar no desenvolvimento de um sistema de rastreabilidade, utilizando tecnologia blockchain, para produtos e processos agroindustriais da cadeia produtiva da cana-de-açúcar.

De acordo com a Embrapa, a tecnologia funciona como uma espécie de encadeamento de todas as operações, impedindo fraudes e garantindo maior segurança ao processo. Com o blockchain, passa a ser possível integrar informações de todos os elos, desde a fase de produção da cana-de-açúcar, passando pela distribuição até a comercialização.

Para o pesquisador Alexandre de Castro, da Embrapa Informática Agropecuária, a tecnologia também pode atender a uma demanda de consumidores que se interessam pela qualidade dos insumos utilizados, o local de origem, e se a forma de produção é sustentável, entre outras informações. Para completar, o sistema ainda poderá trazer vantagens quanto à segurança criptográfica e à distribuição da base de dados do RenovaBio.

“Em tempos de concorrência acirrada, um sistema seguro, confiável e de fácil acesso, que concentre todas as informações sobre a cadeia produtiva da cana-de-açúcar pode propiciar um diferencial para atingir mercados mais exigentes e melhor remuneração pelo investimento em tecnologia”, afirma Castro, que completa: “Além disso, a centralização das informações sobre a cadeia produtiva em um sistema seguro amplia a capacidade gerencial tornando a tomada de decisão mais ágil e assertiva”.

Mas esta não é a primeira parceria da Embrapa voltada para o uso de blockchain no setor de açúcar e etanol. Exatamente um ano antes, em 29 de outubro de 2019, a empresa firmou um acordo com a Cooperativa dos Plantadores de Cana do Estado de São Paulo (Coplacana) com o objetivo de desenvolver soluções para ampliar a competitividade, produtividade e a sustentabilidade da cadeia produtiva da cana-de-açúcar.

O novo documento foi assinado pela chefe-geral da Embrapa, Silvia Maria Fonseca Silveira Massruhá; pelo chefe adjunto de pesquisa e desenvolvimento da instituição, Stanley Robson de Medeiros Oliveira; pelos diretores da Safe Trace, Rodrigo Oscar Argueso Gomes de Almeida e Vasco Varanda Picchi; pelo presidente da Granello, José Valdir Granelli; e pelos sócios da usina, Ivany Therezinha Zanatta Granelli, Ariovaldo Fernando Granelli e Ivana Maria Granelli.

Renata Bossle – novaCana.com