PUBLICIDADE
boletim boletim
Investimento

Grupo Olho D'Água investe R$ 74 milhões em barragem para irrigar canaviais

Barragem tem capacidade para 17,8 bilhão de litros e vai garantir estabilidade para os períodos de escassez de chuva


Folha de Pernambuco - 10 nov 2022 - 09:41

Com um investimento de R$ 74 milhões, o grupo Olho D’Água inaugurou no município de Aliança, na zona da mata norte de Pernambuco, a barragem Dr. Murilo Tavares de Melo. O equipamento tem a capacidade para armazenar 17,8 bilhão de litros de água e foi concluído em um período de 11 meses. A barragem fica dentro de uma área de 186 hectares e em seu funcionamento pleno poderá irrigar 4 mil hectares.

De acordo com a empresa, a barragem estará presente na irrigação desta área por meio de dois processos. O primeiro, levará a irrigação para 1,2 mil hectares por meio do gotejo, enquanto os outros 2,8 mil hectares serão irrigados por pressão.

A barragem faz parte da estratégia do grupo em manter a safra regular a partir da otimização da oferta de água. “Ela é significativa porque a região sente com a seca e, a partir disso, vamos conseguir irrigar 4 mil hectares”, conta o presidente do Olho D’Água, Gilberto Tavares de Melo.

Ele completa: “Com essa irrigação, vão ser gerados 241 postos de emprego direto e vai circular mais dinheiro na região, onde vamos aumentar 140 mil toneladas de cana na produção da usina. Esse aumento é significativo e é um incremento na ordem de 8% da nossa moagem”.

A barragem leva o nome do fundador do grupo, Dr. Murilo Tavares de Melo, que foi um empreendedor reconhecido no setor como referência na inovação tecnológica da cana-de-açúcar no Nordeste do Brasil.

Atualmente, o grupo Olho D’Água possui 50 mil hectares de área agricultável, dos quais 70% já são beneficiados com irrigação. Suas três usinas respondem por uma capacidade industrial de moagem de 4,5 milhões de toneladas de cana-de-açúcar por ano. Como resultado, produzem 300 mil toneladas de açúcar refinado, cristal e demerara; 170 milhões de litros de etanol, álcool e aguardente; e geram 80 mil MWh de energia ao ano.

Dentre os R$ 74 milhões investidos, R$ 58,8 milhões foram financiados pelo Banco do Nordeste (BNB). O presidente do banco, José Gomes da Costa, conta que a atuação junto ao empreendimento mostra a preocupação da entidade em atuar mais próxima ao setor.

“É um setor prioritário para o banco. Passamos a atuar fortemente e a cada ano é sucesso repetido. Um fator importante dessa obra é o seu lado ecológico, a utilização do armazenamento de água com uma irrigação de forma racional, permitindo a expansão de empregos. A barragem é muito positiva”, disse Gomes da Costa.

O presidente do Sindicato da Indústria do Açúcar e do Álcool no Estado de Pernambuco (Sindaçúcar-PE), Renato Cunha, participou da inauguração e destacou a relevância da obra para mostrar que é possível empreender com cana-de-açúcar.

“Segurança hídrica é fundamental para aumento da produtividade e, consequentemente, para a manutenção de empregos. Com essa atitude, o grupo renova seus investimentos em Pernambuco mostrando que o negócio da cana é viável e existe uma equação socioeconômica consistente com a geração de empregos”, destacou.

A inauguração da barragem contou também com a presença de outros executivos do setor sucroenergético, como o presidente do grupo EQM, Eduardo de Queiroz Monteiro, e de autoridades, como o governador do estado, Paulo Câmara.

Na ocasião, Câmara apontou a importância da contribuição do setor privado. “O setor sucroenergético em Pernambuco está de pé, ajudando a gerar emprego e renda, contribuindo com o desenvolvimento do estado. A parceria que o setor privado faz é importante porque dá condições para produtividade e desenvolvimento do negócio e ao mesmo tempo disponibiliza mais água. É um olhar para o desenvolvimento e manutenção do que é importante para geração de emprego e renda do nosso estado”, apontou.

O presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), Eriberto Medeiros, também esteve presente e disse que a barragem vai ajudar as regiões que sofrem com a falta de chuva. “É muito importante uma barragem como essa em vários aspectos. Pernambuco tem regiões que sofrem com a escassez e cada ambiente para o armazenamento vem para contribuir com a população e os negócios”, declarou.

Matheus Jatobá

Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE
STOLLER
x