BASF
Investimento

Governo avalia custos de construção e ampliação de novas usinas no Brasil

Expansão depende de melhora na saúde financeira do setor e do sucesso do RenovaBio; também foram apresentadas projeções para etanol celulósico e de milho


novaCana.com - 12 fev 2019 - 10:33 - Última atualização em: 13 fev 2019 - 11:24

Com o RenovaBio em vigor a partir do próximo ano, a estimativa da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), vinculada ao Ministério de Minas e Energia (MME), é que o setor sucroenergético seja estimulado a investir para atender à demanda crescente, chegando à produção de 49 bilhões de litros de etanol em 2030. Isso envolveria não apenas a ampliação das usinas já existentes como também a construção de novas unidades – uma perspectiva que ainda parece distante da realidade.

Segundo um levantamento da RPA Consultoria, 93 sucroenergéticas estavam paralisadas na safra 2018/19, número que recebeu o reforço de duas unidades para 2019/20. Ainda assim, segundo as estimativas da EPE, nove usinas devem ser reativadas entre 2019 e 2021, e 19 devem entrar em operação até 2030. A primeira delas, inclusive, deve abrir as portas já no ano que vem.

Um informe da EPE divulgado em dezembro confirmou a projeção de 49 bilhões de litros para 2030, sendo 19 novas usinas – com capacidade média de moagem de 3,5 milhões de toneladas de cana-de-açúcar por safra – e ampliações que adicionarão 55 milhões de toneladas à capacidade de moagem nacional. Além disso, foram apresentadas estimativas de custo para esses investimentos.

Segundo o documento, serão necessários, em média, R$ 359,6/t para aplicações em novas usinas de etanol de primeira geração e R$ 256/t para as ampliações. No total, isso significaria investimentos na ordem de R$ 24,1 bilhões com novas usinas e de R$ 14,1 bilhões com ampliações. Aplicações em usinas de etanol de segunda geração e etanol de milho, por sua vez, somariam mais R$ 18 bilhões.

Os investimentos em torno de R$ 359,6/t – ou até mesmo R$ 256/t –, entretanto, parecem elevados quando se considera as mais recentes movimentações de compra e venda de usinas sucroenergéticas.

Leia mais na reportagem:

- Detalhamento das projeções de investimento da EPE
- Valor de mercado das usinas sucroenergéticas: comparativo com negócios fechados em 2017 e 2018
- Etanol celulósico: 23 novas usinas são possíveis?
- Perspectiva da EPE para etanol de milho é “tímida” em comparação com números do mercado

exclusivo assinantes

O texto completo desta página
está disponível apenas aos assinantes do site

veja como é fácil e rápido assinar