PUBLICIDADE
boletim boletim
Investimento

Com etanol de milho trazendo bons resultados, CerradinhoBio mantém aposta no grão

Companhia está ampliando a usina de Chapadão do Céu (GO) e construindo uma nova planta no Mato Grosso do Sul


NovaCana - 11 out 2022 - 10:17
imae intro
Paulo Motta durante apresentação na Conferência NovaCana 2022

Diversificar para reduzir o risco. De acordo com o diretor-presidente da CerradinhoBio, Paulo Motta, este é o principal pensamento por trás da decisão da companhia em investir no etanol de milho. “A ideia não é trocar a cana pelo milho”, garantiu ele durante sua apresentação na Conferência NovaCana.

Como um dos palestrantes do painel “Os desafios do etanol de milho”, Motta relatou a experiência da companhia na primeira usina Neomille, em Chapadão do Céu (GO), além de detalhar os novos projetos.

A Neomille foi criada em 2019 para reunir as operações da CerradinhoBio com o grão. Naquele ano, a empresa inaugurava uma planta anexada à sua unidade de cana-de-açúcar. Mas, apesar de estarem próximas, as duas usinas funcionam de forma independente. “Não somos uma usina flex, temos apenas uma operação integrada”, explica Motta.

A planta de milho, aliás, ajudou a ampliar os resultados da Cerradinho na safra 2021/22. No período, a fabricação do etanol hidratado de cana teve uma retração de 6%, totalizando 399 milhões de litros. Já o biocombustível feito com o cereal cresceu 22%, para 186 milhões de litros.

Além de aumentar a produção de biocombustível, a Cerradinho também pôde adentrar novos mercados, afinal, o processamento milho ainda gera dois coprodutos, o DDG e o óleo. O primeiro contém altos níveis de proteínas e é utilizado para rações animais. Já o segundo pode ser usado em indústrias de biodiesel e para alimentação animal e humana.

Atualmente, segundo Motta, a capacidade das duas plantas é equivalente à moagem de 9 milhões de toneladas de cana-de-açúcar. Na prática, contudo, 6 milhões de toneladas são realmente de cana, com as 3 milhões restantes sendo representadas por 570 mil toneladas de milho.

A previsão é que, com a finalização dos dois projetos em andamento da Cerradinho – a ampliação da Neomille goiana e a construção de uma nova planta em Maracaju (MS) –, essa capacidade aumente cerca de 44% para o equivalente a 13 milhões de toneladas de cana. Entretanto, todo esse crescimento será feito por meio do milho.

Confira no texto completo, exclusivo para assinantes NovaCana, mais detalhes sobre os projetos da Cerradinho e, também, a visão do executivo a respeito dos principais desafios do setor de etanol de milho no Brasil.


EXCLUSIVO ASSINANTES

O texto completo desta página está
disponível apenas aos assinantes do site!

VEJA COMO É FÁCIL E RÁPIDO ASSINAR



Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE
STOLLER
x