BASF
Investimento

BNDES financia R$ 2,76 bi para usinas em 2018 – Tereos, Batatais e Cocal lideram [atualizado]

Levantamento inédito demonstra que tanto operações indiretas, automáticas ou não, quanto diretas não automáticas aumentaram no último ano


novaCana.com - 09 abr 2019 - 11:46 - Última atualização em: 24 abr 2019 - 07:21

Atualização (23/04, às 12h20): Os dados do BNDES utilizados para a matéria inicial foram atualizados pelo  banco. O texto e os gráficos abaixo foram alterados com base nos números consolidados mais recentes.

O setor sucroenergético precisa de investimentos. Seja para renovação do canavial – essencial para melhorar a produtividade e, consequentemente, os lucros –, para construção, ampliação e manutenção de usinas, ou para outros fins, as empresas demandam recursos que vão além dos seus próprios rendimentos.

Ainda assim, muitas companhias não possuem um bom acesso ao crédito, já que enfrentam dificuldades financeiras provocadas por fatores diversos, como variações cambiais, o impacto do controle de preços realizado no começo da década e as flutuações do mercado de açúcar. A Usina Santa Terezinha, por exemplo, teve dificuldade em reestruturar uma dívida superior a R$ 4 bilhões e, por isso, entrou com pedido de recuperação judicial no fim de março.

Porém, em 2018, o Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) foi na contramão das perspectivas negativas. Em levantamento realizado pelo novaCana a partir de dados divulgados pelo banco, as companhias sucroenergéticas viram um aumento na quantia aprovada para financiamentos.

No ano passado, o apoio do banco ao setor correspondeu a R$ 2,76 bilhões, divididos em 709 projetos. Este é o maior valor desde 2014, quando o BNDES atingiu o auge de R$ 6,8 bilhões.

Os dados divulgados pelo BNDES foram agrupados pelo novaCana e são referentes à relação de financiamentos aprovados por diferentes modalidades – sejam operações indiretas, automáticas ou não, ou diretas não automáticas. Esta é a primeira vez que as operações indiretas automáticas também fazem parte do levantamento, que traz um panorama completo e dados inéditos para o setor.

Confira, na versão completa, os recursos do BNDES direcionados ao setor sucroenergético e as principais empresas e grupos que os receberam, além do histórico dos investimentos e as áreas contempladas.

exclusivo assinantes

O texto completo desta página
está disponível apenas aos assinantes do site

veja como é fácil e rápido assinar

ou