BASF
Financeiro

Risco de calote aumenta e USJ tem nota rebaixada pela S&P

Agência de classificação de risco mantêm a empresa em perspectiva negativa e até mesmo uma nova renegociação de dívidas pode ser interpretada como calote


novaCana.com - 24 jan 2019 - 09:20

A caminhada da USJ Açúcar e Álcool foi marcada por percalços nos últimos anos. Apesar de ter registrado lucro líquido em seus dois últimos resultados anuais, os ratings fornecidos pelas empresas de avaliação de risco servem como termômetros dos atropelos da companhia que, atualmente, controla três usinas – uma em São Paulo e duas em Goiás.

No último 14 de janeiro, a S&P Global Ratings rebaixou a nota da empresa de CCC para CCC-, com perspectiva negativa, o que significa que existe a possibilidade dela ser novamente rebaixada na próxima avaliação.

Em 2016, a empresa chegou ao último degrau do ranking após deixar de pagar juros referentes a notas sem garantia no valor de US$ 245,9 milhões. Mesmo assim, sua recuperação após o calote foi bastante rápida – apenas sete dias.

À época, o rating de crédito conferido à empresa pela S&P era CCC+, com perspectiva estável, que permaneceu até julho de 2018. No dia 11 daquele mês, a USJ sofreu um rebaixamento para CCC, com perspectiva negativa.

Segundo a S&P, o principal compromisso da empresa é uma Oferta de Troca das Notas (bond), com vencimento em maio e novembro deste ano, no total de US$ 13 milhões. Além disso, há a amortização de um montante em circulação do bond, que também vence em novembro, no total de US$ 29 milhões.

Confira, no conteúdo completo, os motivos que levaram ao rebaixamento da nota, as expectativas da agência em relação à empresa e os cenários de elevação e rebaixamento do rating de crédito.

exclusivo assinantes

O texto completo desta página
está disponível apenas aos assinantes do site

veja como é fácil e rápido assinar

ou