Financeiro

Resultado das maiores e mais lucrativas sucroenergéticas encolhe em 2019

Entre as grandes do setor, 46 empresas tiveram resultados no azul; na média, elas ganharam 31,3% a menos que um ano antes


NovaCana - 24 fev 2021 - 09:28 - Última atualização em: 12 mar 2021 - 15:59

Apesar das dificuldades financeiras enfrentadas pelo setor de açúcar e etanol, uma parcela das empresas consegue se destacar e atingir bons resultados, como as mais capitalizadas e com mais acesso a crédito no mercado. Mesmo dentre as grandes, porém, nem todas conseguem fechar as contas no azul.

A publicação Melhores e Maiores, da Exame, traz 72 sucroenergéticas na lista das 400 maiores companhias do agronegócio em 2019 – dez a menos do que um ano antes. A relação inclui usinas, grupos, tradings, cooperativas e produtoras de cana-de-açúcar.

Destas, 46 apresentaram um resultado líquido positivo, seis a menos do que em 2018. Este é o menor número de empresas no azul desde 2013, repetindo a quantia vista em 2015.

Com a menor representatividade de sucroenergéticas no levantamento e a menor quantidade de usinas reportando lucro, a soma dos resultados líquidos ajustados positivos foi, consequentemente, menor: US$ 941,4 milhões, redução de 39,28% no comparativo com o US$ 1,55 bilhão de 2018. O resultado deixou para trás os três anos consecutivos com soma de resultados acima de US$ 1 bilhão.

Já a média caiu 31,33%, para US$ 20,47 milhões em 2019, o pior resultado desde 2015. Com isso, as companhias listadas em 2019 se distanciaram do primeiro e terceiro melhores desempenhos da série histórica iniciada em 2009: os US$ 38,1 milhões registrados em 2017 e os US$ 29,81 milhões de 2018.

Além da menor quantidade de empresas com lucros líquidos, os resultados individuais também foram menores. Enquanto quatro companhias lucraram mais do que US$ 100 milhões em 2018 – sendo duas acima dos US$ 150 milhões –, apenas uma ultrapassou a marca em 2019. Além disso, 11 empresas lucraram entre US$ 30 milhões e US$ 80 milhões em 2018, número que caiu para sete no ano seguinte.

Considerando o ranking das 46 empresas que registraram lucro líquido ajustado no azul em 2019, a dianteira voltou a ser da Raízen Energia, como em 2017. O resultado da empresa foi de US$ 106,3 milhões, mas, apesar do primeiro lugar, seu ganho foi 31,15% menor ante os US$ 154,4 milhões de um ano antes. O dado representa o lucro líquido apurado depois de reconhecidos os efeitos da inflação nas demonstrações contábeis.

O levantamento, feito em parceria com a Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Atuariais e Financeiras (Fipecafi), reuniu os resultados financeiros das mil empresas do país com as maiores receitas líquidas. Além disso, a publicação traz outros compilados específicos, como as 400 maiores do agronegócio, dentre as quais estão as sucroenergéticas e produtoras de cana-de-açúcar. Vale destacar que nem todas as companhias do setor mencionadas se encontram entre as mil maiores.

Confira, na versão completa (restrita para assinantes):

- Lucro médio e total do setor em 2019
- Ranking das maiores e mais lucrativas do setor em 2019
- Ranking de geração de riqueza das empresas em 2019
- Histórico das empresas que mais lucraram em 2019
- Indicadores de lucro, endividamento total, vendas líquidas e rentabilidade do patrimônio dos 20 maiores lucros


EXCLUSIVO ASSINANTES

O texto completo desta página está
disponível apenas aos assinantes do site!

VEJA COMO É FÁCIL E RÁPIDO ASSINAR



Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail