PUBLICIDADE
BN novacana 1300x150
Financeiro

Raízen tem lucro 48% menor no trimestre, mas sinaliza melhora para 2022/23


Reuters - 16 mai 2022 - 08:46

A Raízen informou na noite de sexta-feira, 13, que registrou uma queda de 48,3% do lucro em seu quarto trimestre fiscal, mas projetou crescimento para o atual ano safra.

A companhia reportou lucro líquido ajustado de R$ 209,7 milhões no período, bastante abaixo da estimativa de analistas compilada pela Refinitiv de R$ 708,2 milhões. Na safra 2021/22, o resultado foi de R$ 3 bilhões, alta de 245% na comparação anual.

Já a receita operacional líquida cresceu 57,1% na safra, para R$ 196,29 bilhões. No trimestre, a variação foi de 50,1%, indo a R$ 53,5 bilhões e superando a expectativa de R$ 46,9 bilhões.

Além disso, a Raízen atingiu um lucro ajustado antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda ajustado) pró-forma de R$ 1,78 bilhão no trimestre, reflexo principalmente do menor volume vendido na área de renováveis e açúcar. No ano, o Ebitda ajustado foi de R$ 10,7 bilhões (+19,6%).

“Este efeito [trimestral] foi resultado da combinação de estratégia comercial, que deslocou parte dos estoques para o ano seguinte, e menor disponibilidade de produtos em decorrência dos severos impactos climáticos que afetaram os canaviais”, afirmou a Cosan.

As vendas de açúcar recuaram 14,2% de janeiro a março, para 1,95 milhão de toneladas, enquanto a comercialização de etanol subiu 2,7% para 1,66 bilhão de litros.

Desempenho no campo

Com pouca moagem no último trimestre da safra, a Raízen conclui a temporada 2021/22 com o processamento de 76,1 milhões de toneladas de cana-de-açúcar, queda anual de 13,5%. A companhia ainda registrou queda de 0,3% na concentração de açúcar total recuperável (ATR), que foi de 136,4 kg/t, além de recuo de 9,8% no rendimento dos canaviais, que ficou em 72,1 t/ha.

“Essa redução reflete os efeitos do clima, principalmente da estiagem prolongada e dos episódios de geadas, que afetaram o rendimento dos canaviais, impactando inclusive o cronograma de colheita da safra”, disse a empresa em seu release de resultados.

Com isso, houve queda nos volumes fabricados. Para o açúcar, a redução foi de 17,1%, para 5,18 milhões de toneladas. Já a produção de etanol foi de 3,1 bilhões de litros, queda de 11,5% na comparação com 2020/21.

Perspectivas

A Raízen também informou que espera atingir um Ebitda na faixa de R$ 13 bilhões a R$ 14 bilhões durante o ano safra 2022/23, iniciado em abril.

A projeção, que é superior aos 10,7 bilhões de reais reportados no ano anterior, é embasada no “aumento dos volumes de venda de todos os produtos”, além de preços melhores para etanol, bioenergia e açúcar.

Os investimentos previstos para o período devem ficar entre R$ 10,5 bilhões e R$ 12 bilhões. A maior parte deste valor –entre R$ 8,5 bilhões e R$ 9 bilhões – deve ser alocado em sua divisão de renováveis e açúcar.

“Os maiores dispêndios estão alinhados ao ciclo de expansão da companhia, com projetos majoritariamente focados na expansão do portfólio de renováveis”, disse a Raízen em comunicado ao mercado.

Peter Frontini e Carolina Pulice
Com informações adicionais NovaCana

Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE
Card image


x