BASF
Financeiro

Com R$ 1,5 bilhão em dívidas, Grupo Moreno assina acordo com credores


novaCana.com - 04 abr 2016 - 10:24
Usina Nova Moreno, localizada em Monte Aprazível (SP)

O Grupo Moreno assinou na última quinta-feira, 31 de março, um acordo para a reestruturação de suas dívidas junto a credores. Com um total devido na casa do R$ 1,5 bilhão, o grupo tentava uma negociação extrajudicial com as instituições desde setembro do ano passado, pressionado por processos de execução e penhora de bens movidos por credores.

Com o acordo assinado, a companhia consegue um prazo de 18 meses de carência, período em que vai negociar com os credores as condições do alongamento da dívida e uma eventual necessidade de desalavancagem - o que pode significar venda de ativos ou de participação na empresa.

Segundo informações divulgadas pelo Valor Econômico, ao todo, 23 bancos estão participando diretamente ou indiretamente da reestruturação da dívida. Conforme garantiram fontes próximas às negociações, isso significa adesão total ao plano.

Cerca de 30% dos credores se anteciparam e já repactuaram o prazo de vencimento da dívida do grupo por cinco anos. Os 70% restantes participam diretamente, ou seja, assinaram o acordo para renegociar as condições ao longo dos próximos 18 meses. Entre os principais bancos credores estão Santander, Rabobank, HSBC e Citi.

A relação entre a dívida do grupo e sua capacidade de moagem de cana é de R$ 130 por tonelada acima do patamar considerado "razoável" pelo mercado, que é de até R$ 100 por tonelada. Segundo nota publicada pelo Valor Econômico, nos últimos anos, a empresa vinha investindo na expansão do canavial e foi penalizada, assim como todo o setor, pelos preços mais baixos do açúcar e do etanol.

O Grupo Moreno detém três unidades industriais localizadas nos municípios paulistas de Luiz Antônio, Monte Aprazível e Planalto com capacidade processar um pouco mais de 11 milhões de toneladas de cana.

novaCana.com
Com informações do Valor Econômico