Financeiro

Jalles Machado tem prejuízo de R$ 10,2 milhões no segundo trimestre de 2021/22


Agência Estado - 16 nov 2021 - 10:31

A Jalles Machado, companhia do setor sucroenergético e maior exportadora mundial de açúcar orgânico, registrou prejuízo líquido de R$ 10,2 milhões no segundo trimestre da safra 2021/22, revertendo lucro de R$ 65,6 milhões obtido no mesmo período da temporada anterior.

Segundo comunicado da empresa, o prejuízo é não caixa e se deve ao efeito do hedge do preço de açúcar. “Se o preço do açúcar sobe, aumenta a despesa financeira não caixa, e se o preço cai tal despesa diminui”, explica nota da companhia. “Como se trata de despesa financeira não caixa, não faz mais sentido olhar para o lucro líquido caixa para entender o nosso desempenho”.

No trimestre, o lucro líquido caixa avançou 20,7% ante o segundo trimestre de 2020/21, para R$ 80,1 milhões. O Ebitda ajustado (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização, descontando também fatores tidos como relevantes pela empresa) subiu 27,9% na mesma comparação, para R$ 259,8 milhões. A receita líquida cresceu 12,5% na comparação anual, para R$ 334,0 milhões.

No primeiro semestre da safra, a companhia processou 4,4 milhões de toneladas de cana, com rendimento de 97 toneladas por hectare e índice médio de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) de 137,6 kg/tonelada.

“Além de continuarmos favorecidos pelas condições de mercado com alta nos preços do etanol e do açúcar, nossa região não sofreu quebra de safra, o que nos coloca em posição muito privilegiada”, afirma comunicado da companhia. As duas unidades da Jalles Machado ficam em Goianésia (GO), enquanto os principais problemas climáticos nesta safra foram no estado de São Paulo. O mix ficou em 47% para açúcar e 53% para etanol.

No documento de divulgação dos resultados, a empresa também informou que está começando a aumentar os estoques em preparação para a entressafra, quando os preços do biocombustível tendem a aumentar. Além disso, foram citadas dificuldades para escoar açúcar orgânico, principal produto de exportação da Jalles Machado, por causa do frete caro e da falta de navios e contêineres.

Quanto às aquisições – no IPO a companhia disse que planejava adquirir uma usina –, o processo está sendo perseguido “com parcimônia e responsabilidade, estudando as melhores alternativas e condições” para os acionistas, diz a nota.

De acordo com a companhia, a área orgânica de cerca de 20 mil hectares, que não usa produtos químicos, deve mitigar o efeito de alta nos insumos.

Augusto Decker


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail



x