Financeiro

FS, Tereos e Bioenergética Aroeira já emitiram mais de US$ 800 milhões em títulos verdes

Estudo da Climate Bonds Initiative apresenta detalhes das transações e potencial das empresas brasileiras ligadas à bioenergia nas emissões sustentáveis


NovaCana - 26 ago 2021 - 09:10

A captação de recursos por empresas brasileiras de açúcar e etanol vem ganhando cada vez mais pluralidade. Ainda que a entrada na bolsa de valores fique restrita a poucas companhias, as transações de debêntures incentivadas e de Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRAs), por exemplo, vêm crescendo exponencialmente e cada vez mais grupos realizam emissões.

Além disso, o mercado brasileiro de títulos verdes, criado em 2015, também está conquistando espaço. Neste caso, as empresas precisam se comprometer com metas e ações sustentáveis para ter crédito no mercado.

A categoria de uso da terra é a segunda mais financiada no país, levando em conta todos os papéis ligados à sustentabilidade, e a liderança na emissão destes títulos é do setor de papel e celulose. Entretanto, as companhias de agricultura e bioenergia vem demonstrando um “apetite crescente” por produtos financeiros sustentáveis.

Considerando as captações ligadas à agricultura, de acordo com o documento, o setor de bioenergia somou US$ 832 milhões a partir de três empresas e sete emissões, consolidando-se como o segundo segmento com os maiores investimentos. “A parcela de emissões de bioenergia no Brasil está crescendo na categoria de energias renováveis, embora o espaço ainda seja dominado pelos setores eólico e solar”, destaca o relatório.

A campeã foi a FS Bioenergia, com cinco papéis enquadrados como verdes até fevereiro de 2021, totalizando US$ 698 milhões. Na sequência, a Tereos obteve US$ 105 milhões e a Bioenergética Aroeira chegou a US$ 29 milhões.

Quatro tons de verde

Ainda segundo o relatório, nos últimos dois anos, estes papéis vêm recebendo diferentes designações, como verdes, sustentáveis, vinculados à sustentabilidade e de transição. Em sua análise, a CBI – que gerencia o maior banco de dados de títulos verdes do mundo – examina como o mercado brasileiro de dívida sustentável está se desenvolvendo no setor de agricultura, que inclui a produção agrícola e pecuária, produção alimentar, florestas e bioenergia.

Dos quatro rótulos de emissões apresentados, as empresas do setor de bioenergia realizaram transações em dois: verdes e vinculados à sustentabilidade.

  1. Os títulos verdes são definidos como recursos direcionados a projetos ou ativos verdes e que são elegíveis com benefícios ambientais
  2. Os papéis sustentáveis são os recursos canalizados para projetos e ativos verdes e sociais, com benefícios socioambientais
  3. Os vinculados à sustentabilidade não dependem de um uso específico dos recursos, mas estão vinculados a compromissos ambientais, sociais e de governança (ESG) explícitos e baseados em um cronograma predefinido
  4. Os títulos de transição se referem ao uso de princípios ESG com cronograma predeterminado e a empresa deve estar alinhada ao Acordo de Paris, permitindo a transição em direção a uma economia de baixo carbono

Confira, na versão exclusiva para assinantes, os detalhes das emissões de empresas ligadas ao setor sucroenergético e o potencial das emissões de companhias de bioenergia


EXCLUSIVO ASSINANTES

O texto completo desta página está
disponível apenas aos assinantes do site!

VEJA COMO É FÁCIL E RÁPIDO ASSINAR



Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

Card image


x