Financeiro

Estrangeiros respondem por quase 60% da demanda por ações da Raízen em IPO


O Estado de S. Paulo - 04 ago 2021 - 09:16

O valor de mercado da Raízen aumentou em mais de R$ 15 bilhões durante o período de apresentação da oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) para investidores. Com a pegada de sustentabilidade e de ser neutra em carbono, a empresa, joint venture entre Cosan e Shell, atraiu fundos internacionais especializados em energia, inclusive as carteiras focadas em transição energética, com perfil de longo prazo, que responderam por 60% da demanda pelos papéis.

Para os investidores, os projetos apresentados pela companhia – de etanol de segunda geração e biogás – fizeram sentido. Entre os fundos estrangeiros que participaram da operação estão o inglês Aberdeen Asset Management e a Abu Dhabi Investment Authority (Adia). O IPO da Raízen movimentou R$ 6,9 bilhões e deve ser o maior da América Latina este ano.

Antes de dar início ao IPO, a Raízen tinha valor de mercado avaliado em torno de R$ 60 bilhões. Ao ter o preço de suas ações conhecidas, a Raízen chega à bolsa avaliada em cerca de R$ 76 bilhões. É quase 60% a mais que sua controladora, a Cosan, que tem valor de mercado de R$ 48 bilhões.

A demanda total pelas ações da Raízen chegou a R$ 30 bilhões, sendo que R$ 14 bilhões vieram apenas de pessoas físicas. A companhia fará sua estreia na bolsa já se posicionando entre uma das empresas mais valiosas da B3. Procurada, a Raízen não se manifestou por estar em período de silêncio com o IPO.

Cynthia Decloedt, Altamiro Silva Junior e Fernanda Guimarães


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

Card image


x