BASF
Financeiro

As 52 maiores e mais lucrativas empresas do setor de açúcar e etanol em 2018

Entre as maiores sucroenergéticas, quantidade de empresas lucrativas caiu em 2018. Além disso, redução no lucro médio foi de 21,7%


novaCana.com - 28 nov 2019 - 10:16 - Última atualização em: 06 dez 2019 - 10:46

Não é de hoje que o setor sucroenergético enfrenta dificuldades financeiras. Porém algumas empresas ainda apresentam resultados favoráveis e que se destacam nos números expressos em seus balanços financeiros. Esse grupo, mais seleto e capitalizado, pode até ser restrito, mas há algumas surpresas no sobe e desce do ranking.

Isso é o que revela a publicação anual da revista Exame, que reúne os resultados financeiros das 1.000 maiores empresas do país. Os números do setor sucroenergético foram compilados pelo novaCana e demonstram que, na publicação referente a 2018, 52 empresas do setor apresentaram lucro – cinco a menos do que em 2017.

O número aparece entre as 82 companhias entraram no ranking, que trouxe uma companhia a menos do que na publicação anterior. Destas, 24 apresentaram prejuízo, mesmo número de 2017, enquanto outras seis não tiveram seus dados de lucro líquido ajustado divulgados.

Considerando apenas as empresas que fecharam 2018 com lucro, a soma dos resultados é menos favorável do que em 2017 – uma diminuição obviamente influenciada pela menor presença do setor no ranking, mas também por um desempenho financeiro mais fraco.

Mesmo assim, este foi o segundo maior valor da série histórica iniciada em 2009. A soma dos lucros líquidos foi de US$ 1,55 bilhões em 2018, uma redução de 28,57% frente ao montante de US$ 2,17 bilhões visto em 2017.

Ainda entre as empresas que registraram resultados positivos, o lucro médio foi de US$ 29,81 milhões. Já em 2017, o lucro médio foi de US$ 38,10 milhões, recorde da série histórica. Assim, houve uma queda de 21,75% entre as duas análises mais recentes. As sucroenergéticas lucrativas vinham em uma tendência crescente desde 2015, e sofreram uma quebra em 2018; mas, mesmo assim, o resultado ficou acima do de 2016.

O ranking publicado – feito em parceria com a Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Atuariais e Financeiras (Fipecafi) – apresenta as 1.000 empresas brasileiras de maior receita líquida. Com isso, contempla apenas uma parte do setor sucroenergético e apresenta um panorama baseado apenas nos resultados das maiores companhias.

Confira na versão completa:

- Lucro médio e total do setor em 2018
- Ranking das maiores e mais lucrativas do setor em 2018
- Histórico das empresas que mais lucraram em 2018
- Indicadores de lucro, endividamento total e vendas líquidas dos 20 maiores lucros


EXCLUSIVO ASSINANTES

O texto completo desta página está
disponível apenas aos assinantes do site!

VEJA COMO É FÁCIL E RÁPIDO ASSINAR