Política

Bolsonaro viaja a Guariba (SP) para inaugurar planta de biogás da Raízen

Comitiva presidencial desembarcou no aeroporto de Ribeirão Preto (SP) às 8h20 antes de seguir de helicóptero para cerimônia. Ministro de Minas e Energia também é aguardado


G1 - 16 out 2020 - 07:37
Planta de biogás é inaugurada nesta sexta-feira, em Guariba (SP), com a presença de Jair Bolsonaro

O presidente da República Jair Bolsonaro viaja a Guariba (SP) na manhã desta sexta-feira (16) para participar da inauguração de uma planta de biogás da Raízen. O evento está previsto para começar às 10h.

O avião com a comitiva presidencial decolou em Brasília (DF) às 7h20 e chegou por volta das 8h20 ao Aeroporto Estadual Leite Lopes, em Ribeirão Preto (SP), onde foi recebido por apoiadores e estava sem máscara, acessório de proteção contra a Covid-19 com uso obrigatório no estado de São Paulo.

Em seguida, o presidente embarcou em um helicóptero com destino a Guariba, a 90 quilômetros de distância.

Além de Bolsonaro, é aguardada a presença do ministro de Minas e Energia Bento Albuquerque, entre outras autoridades.

Bolsonaro deve discursar aos participantes do evento. Ainda não há confirmação se ele concederá coletiva no local.

Ao término da cerimônia, o presidente deve viajar para Porto Real (RJ). No sábado (17), ele deve participar do Espadim, evento com entrega de uma réplica da espada de Duque de Caxias, patrono do Exército Brasileiro.

Planta de biogás

A planta de biogás que vai ser inaugurada nesta sexta-feira é a primeira do país a gerar energia limpa produzida por subprodutos e insumos da cana-de-açúcar, como torta de filtro e vinhaça, antes considerados resíduos após o processo de produção de açúcar e etanol.

O projeto foi iniciado em agosto de 2018 e tem capacidade para produzir até 138 mil megawatt-hora (MWh) por ano, meta que deve ser atingida na próxima safra, segundo a Raízen, desenvolvedora da planta em parceria com a Geo Energética.

A produção é capaz de iluminar uma cidade com mais de 200 mil habitantes, de acordo com a empresa.

Ao final do processo de produção de energia, os subprodutos da cana voltam à lavoura como adubo, pois ainda permanecem ricos em potássio, fósforo e nitrogênio, e um novo ciclo é iniciado.


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail