PUBLICIDADE
ARMAC
Política

Feplana critica adiamento de metas do RenovaBio e apoia PDL para impedir “ataque”


Feplana - 05 ago 2022 - 09:13

A Federação dos Plantadores de Cana do Brasil (Feplana) voltou a criticar o Decreto Federal 11.141/22 que estendeu o prazo para o cumprimento das metas do RenovaBio deste ano. O órgão canavieiro classifica a medida como “oportunista” e “imprevisível”, afirmando que ela gera insegurança jurídica e atrapalha o mercado, sem, com isso, reduzir os preços dos combustíveis fósseis.

Por conta deste posicionamento, a entidade relata que se juntou a outras ligadas ao setor dos biocombustíveis para apoiar um Projeto de Decreto Legislativo (DPL) que susta o referido adiantamento.

O texto foi apresentado na terça-feira, 2, pelo deputado federal Arnaldo Jardim (Cidadania-SP), contando com a adesão de outros deputados da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA).

“O eixo do mercado parte do pressuposto de sua previsibilidade e transparência, evitando atitudes oportunistas e de vantagens irreais, como posto neste decreto federal que não baixa nem o preço do diesel e só desestrutura a cadeia produtiva do biocombustível”, diz o presidente da Feplana, Paulo Leal.

O dirigente acredita que existem várias maneiras de melhorar o RenovaBio sem desgastar a sua credibilidade. Ele considera que, a principal delas, deriva da garantia da participação dos produtores de biomassa dos biocombustíveis no programa, uma pauta que já vinha sendo defendida pela entidade.

“Basta que o governo federal e o congresso agilizem a aprovação e sanção do Projeto de Lei 3149/20. Com isso, teremos a segurança jurídica de nossa participação e um aumento considerável na quantidade e na qualidade dos CBios emitidos”, garante.


PUBLICIDADE BASF GIGA INTERNAS BASF GIGA INTERNAS

Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE
STOLLER
x