Política

Bancada de Rubens Ometto: O destino dos R$ 7,4 milhões doados em 2022

Volume financeiro doado foi 1,3% inferior ao do pleito de 2018 e o número de candidatos que recebeu caiu de 56 para 22, com foco maior do investimento em diretórios nacionais e estaduais


NovaCana - 03 nov 2022 - 15:26

Mais de R$ 900 milhões foram doados por pessoas físicas para as campanhas de candidatos nas eleições de 2022. Deste valor, 0,8% saiu dos bolsos de Rubens Ometto Silveira Mello – empresário fundador, presidente do conselho de administração e controlador do grupo Cosan.

Com isso, Ometto se manteve na dianteira do ranking de maiores doações, repetindo o feito de 2018. No total, foram concedidos R$ 7,4 milhões pelo empresário, valor 1,3% inferior aos R$ 7,5 milhões doados nas últimas eleições.

As informações foram coletadas junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em 3 de novembro e estão sujeitas a reajustes posteriores. Como o prazo para declaração dos partidos se encerrou na segunda-feira, 31, já é evidente como se configura a bancada de Ometto no Congresso Nacional.

O empresário doou para 22 candidatos, dos quais onze foram eleitos e cinco são suplentes. No pleito passado, em 2018, foram 56 receptores, sendo que 25 foram eleitos.

Com isso, o valor foi para um número menor de candidatos no comparativo entre as duas votações. Em 2022, Ometto preferiu colocar mais aporte nos fundos partidários: 71,6% do total, ou R$ 5,3 milhões, tiveram este fim.

O empresário fez duas doações para a direção nacional do partido Republicanos, totalizando R$ 3 milhões, a maior doação; uma para a direção nacional do Partido Social Democrático (PSD), de R$ 2 milhões; duas para a direção municipal do PP de Florianópolis (SC), totalizando R$ 200 mil; e uma para a direção estadual do PSD de Minas Gerais de R$ 100 mil. Anteriormente, havia uma doação para a direção distrital do Progressistas (PP) da Paraíba, de R$ 1,5 milhão, porém ela foi removida após uma atualização nos dados.

Dentre os candidatos, Tarcísio Gomes de Freitas, do Republicanos, que foi eleito governador do estado de São Paulo, foi o que recebeu o maior valor de Ometto: R$ 200 mil. Ele ficou com 42,3% dos votos durante o primeiro turno e disputou o segundo turno com Fernando Haddad (PT), tendo ganhado a eleição.

Em seguida, Darci de Matos, do PSD, recebeu a segunda maior quantia individual, de R$ 150 mil. Ele se candidatou a deputado federal em Santa Catarina, mas ficou apenas como suplente.

Outros 15 candidatos receberam R$ 100 mil cada. Dentre eles, 11 concorreram a deputado federal, dois a governador, um deles a deputado estadual e um a senador. Além disso, nove foram eleitos, um ficou como suplente e outros cinco não foram eleitos.

Outros cinco candidatos receberam R$ 50 mil cada: quatro deles buscavam o cargo de deputado federal e um o de deputado estadual. Um se elegeu, três ficaram como suplentes e um perdeu o pleito.

Na divisão estadual, São Paulo foi o estado com mais receptores dos aportes financeiros de Ometto, totalizando oito dos quais quatro foram eleitos: Carlos Alberto Rolim Zarattini (PT), Gilberto Nascimento Silva (PSC), Ricardo de Aquino Salles (PL) e Tarcísio Gomes de Freitas (Republicanos).

O Paraná veio em seguida com três candidatos, sendo dois eleitos: Sergio de Souza (MDB) e Pedro Deboni Lupion Mello (PP).

Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Rio de Janeiro, por sua vez, tiveram dois candidatos cada. Além disso, Santa Catarina teve doações para direção municipal.

Já Bahia, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul, Pernambuco e Piauí tiveram um proponente cada.

Desconsiderando os valores despendidos com as direções partidárias, o Partido Liberal (PL) teve o maior número de candidatos receptores, com quatro. Já PP e Republicanos tiveram três candidatos cada.

Também foram beneficiados os partidos: Avante, Movimento Democrático Brasileiro (MBD), Podemos, PP, Partido Social Cristão (PSC), Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), Partido dos Trabalhadores (PT), Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), e União.

Esquerda ou direta?

Em um primeiro momento, é possível perceber que Ometto doou para partidos de diferentes espectros políticos. Porém, em uma análise mais detida, fica clara a manutenção do viés direitista do empresário. Dentre os partidos contemplados, nenhum deles é de extrema-esquerda ou esquerda. Apenas Carlos Alberto Rolim Zarattini – que foi eleito – aparece como representante de um partido de centro-esquerda, o PT.

Além disso, o diretor da Cosan doou valores para três partidos considerados de centro, quatro de centro-direita, três de direta e um de extrema-direita.

Ainda que não tenha apoiado diretamente o candidato a reeleição Jair Bolsonaro, Ometto efetuou doações de R$ 350 mil a quatro candidatos do PL, partido do atual presidente.

Considerando apenas os valores destinados diretamente aos candidatos, a maior parte das doações foi direcionada aos de centro-direita, totalizando R$ 1,05 milhão. Outros R$ 450 mil foram para candidatos de centro e R$ 400 mil para os de direta. Os que integram partidos de centro-esquerda e extrema-direita receberam R$ 100 mil cada.

No caso dos diretórios, o maior volume foi direcionado para um partido de centro-direita, o Republicanos, com R$ 3 milhões. Já R$ 2,1 milhões para um de centro, o PSD, e R$ 200 mil para um de direita, o PP.

bancada ometto 2022 141022

Considerando a divisão por cargos e espectro político, a maior quantidade de candidatos se concentrou em deputados federais de centro-direita.

Dos onze políticos que receberam doações de Ometto e foram eleitos 2022, um era de centro-esquerda, dois de centro, cinco de centro-direita, dois de direita e um de extrema-direita.

Dentre os seis que não foram eleitos, um era de centro, quatro de centro direita e um de direta.

No comparativo com os 513 deputados federais eleitos em 2022, nove receberam doações do empresário. Os candidatos de centro-direita foram os com maior representatividade tanto no geral – contabilizando 159 deputados – quanto na bancada de Ometto, totalizando quatro.

bancada ometto 2022 geral 011122

O salário de Ometto

Pelas regras, uma pessoa física só pode doar 10% dos seus rendimentos brutos declarados à Receita Federal no ano anterior à eleição.

Assim, tendo como premissa a possiblidade de Ometto ter concedido o equivalente a 10% da sua renda de 2021, é possível afirmar que ela foi de, no mínimo, R$ 74 milhões. Por mês, os ganhos médios seriam de R$ 6,16 milhões.

Segundo dados da lista da Forbes, de setembro deste ano, o patrimônio do empresário é de R$ 14,5 bilhões. Ometto também ficou em sétimo lugar na lista das pessoas mais ricas de 2022, divulgada pela publicação.

No total, dos 290 nomes elencados pela Forbes, 54 deles são ligados ao agronegócio. Do grupo, outros quatro também estão vinculados ao setor sucroenergético: Nelson Marques Ferreira Ometto, Luiz Antonio Cera Ometto e João Guilherme Sabino Ometto, da São Martinho, e Otávio Lage de Siqueira Filho, da Jalles Machado.

Gabrielle Rumor Koster – NovaCana


PUBLICIDADE BASF_NOV_INTERNAS BASF_NOV_INTERNAS

Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE
STOLLER
x