Etanol: Mercado: Regulação

Por conta de pandemia, ANP flexibiliza exigência de estoque de etanol anidro

Seguindo mecanismo presente em regulamentação, agência deve considerar mudanças na demanda por combustíveis e não penalizará usinas e distribuidoras


novaCana.com - 25 mar 2020 - 12:21 - Última atualização em: 26 mar 2020 - 09:28

Em comunicado enviado no final da manhã de hoje (25), a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) informou que irá homologar estoques de etanol anidro e volumes de contratação inferiores aos previstos na resolução da agência sobre o tema. Usinas e distribuidoras não devem ser penalizadas.

A resolução determina um estoque mínimo obrigatório para usinas em 31 de março. A princípio, o volume armazenado deve ser equivalente a 4% do total de anidro produzido na temporada anterior. Para importadores, o estoque deve ser equivalente a 4% do total comercializado. Já as distribuidoras precisariam manter uma armazenagem suficiente para dez dias de comercialização.

O mecanismo já estava previsto na própria regulação da ANP, que previa mudanças nas exigências de estocagem “em função da variação de demanda em seu mercado de atuação, de caso fortuito, de força maior ou de problemas”.

Em nota, a ANP justifica a diminuição das exigências “em razão da pandemia do Covid-19, com suas consequências na economia e na demanda por combustíveis”. De acordo com a agência, está sendo considerado um novo cenário de oferta e demanda no mercado de etanol anidro, “bem como a redução de custos regulatórios que se mostrem desproporcionais no quadro atual de queda abrupta na demanda por gasolina C e seu agravamento nas próximas semanas”.

novaCana.com


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail