Etanol: Preços

Preço do etanol anidro no Centro-Sul deve se igualar ao valor em Suape (PE)

Embora importação dos Estados Unidos seja considerada último recurso, é esperada uma escassez do biocombustível na região Norte-Nordeste


S&P Global Platts - 14 out 2020 - 09:44

Por Phillip Herring*

Entre os participantes do mercado brasileiro de etanol há um consenso de que haverá escassez na oferta de anidro no Norte-Nordeste dentro de três a seis meses. Com isso, os preços devem subir para o valor de entrega (DAP, na sigla em inglês) do etanol que chega no porto de Suape (PE).

As expectativas atuais são de que o déficit na região pode chegar a um volume entre 50 milhões e 150 milhões de litros. Como um último recurso, esta demanda poderá ser suprida pelo etanol importado dos Estados Unidos, embora ele seja mais caro que o produto nacional.

Até lá, porém, um anidro mais barato vindo de outras regiões do Brasil e dos países vizinhos, o que inclui o produto à base de milho, deve chegar ao Norte-Nordeste.

A projeção é de que o valor deste biocombustível aumente nos próximos meses, até atingir a paridade com o preço do etanol importado dos Estados Unidos. Caso ocorra esta equivalência, ela pode desencadear um dilúvio de exportações dos EUA, que irão cobrir qualquer demanda remanescente no Norte-Nordeste, limitando os preços do anidro na região ao valor de entrega em Suape.

A princípio, o Brasil estendeu sua cota trimestral de importação livre de tarifas, que expirou em 31 de agosto, por 90 dias, permitindo a entrada de 187,5 milhões de litros. Além disso, há a possibilidade de que ocorra uma nova extensão de mais 90 dias.

De qualquer modo, volumes relevantes de etanol importado dos Estados Unidos só devem ser registrados quando todas as regiões do Brasil tiverem esgotado o estoque de anidro disponível para entrega ao Norte-Nordeste a preços inferiores ao DAP Suape.

O custo do frete para a entrega do etanol vindo do Centro-Sul é de, aproximadamente, R$ 420/m³, dependendo dos custos logísticos e de armazenamento. Assim, o custo total pode variar amplamente, chegando a até R$ 600/m³.

A subtração dos custos totais de frete, logística e armazenamento do preço DAP Suape resultará no preço máximo de curto prazo do etanol anidro nas várias regiões do Brasil, incluindo o Centro-Sul.

Haverá também carregamentos de etanol vindos de países vizinhos, incluindo Paraguai e Bolívia, mas as quantidades serão muito pequenas para cobrir a escassez total na região.

Preço DAP Suape, arbitragem fechada

Na semana encerrada em 9 de outubro, a S&P Global Platts avaliou o DAP Suape para o etanol anidro em R$ 2.710/m³. O valor representa um novo recorde desde que a companhia começou a avaliar este preço, em outubro de 2017.

Pelos cálculos da Platts, o etanol anidro importado dos Estados Unidos sem 20% de imposto de importação foi avaliado em R$ 2.939/m³ (DAP Suape) no dia 9 de outubro.

Desta forma, a diferença atual entre os valores está em R$ 229/m³, caracterizando uma arbitragem fechada. Ou seja, os distribuidores no Norte-Nordeste vão naturalmente favorecer a compra do etanol brasileiro, que está mais barato e tem um preço de entrega inferior ao importado dos Estados Unidos.

Volatilidade do DAP Suape e expectativas de preço futuro

O DAP Suape do etanol anidro experimentou variações extremas de preço em 2020 por causa da volatilidade inerente ao biocombustível dos Estados Unidos e, também, devido à desvalorização do real frente ao dólar.

Historicamente, a volatilidade de dez semanas no preço do etanol anidro DAP Suape é de 12,07%. Um desvio neste padrão significa que o preço nas próximas dez semanas, ou seja, até 31 de dezembro, poderia experimentar um aumento ou uma redução de R$ 327/m³. Assim, a faixa potencial de comercialização seria de R$ 2.383/m³ a R$ 3.037/m³.

Levando em consideração este teto de R$ 3.037/m³ e assumindo que os custos de frete, logística e armazenamento permanecerão razoavelmente constantes em R$ 420/m³, a Platts calcula que o preço do etanol anidro do Centro-Sul será limitado a R$ 2.617/m³.

Em 9 de outubro, a S&P Global Platts avaliou o preço doméstico do anidro na região Centro-Sul em R$ 2.395/m³, considerando o valor pago às usinas na região de Ribeirão Preto. Desta forma, até o fim do ano, o valor deve subir, no máximo, 9,3% em relação ao preço atual.

* Phillip Herring é especialista de preços da S&P Global Platts


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail