Etanol: Mercado

Petrobras pretende leiloar mais 13,19 milhões de litros de etanol em setembro

Pleito é o segundo que será realizado no mês e corresponde ao anidro armazenado no Rio de Janeiro, em São Paulo e em Santa Catarina


novaCana.com - 28 ago 2020 - 15:57

A Petrobras divulgou que vai realizar um segundo leilão de etanol no próximo mês, conforme informações do Diário Oficial da União (DOU) de hoje (28). Este será o sexto pleito realizado pela companhia no ano e visa eliminar todo seu estoque do biocombustível, conforme autorizado pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) em novembro de 2018.

O leilão está marcado para as 14 horas de 28 de setembro, novamente na modalidade eletrônica, e objetiva a venda de até 13,19 milhões de litros de etanol anidro. O volume está dividido em tanques localizados no Rio de Janeiro, em São Paulo e em Santa Catarina.

Segundo a estatal, o objetivo é vender 8,3 milhões de litros da Refinaria Duque de Caxias (Reduc), no Rio de Janeiro. Além disso, os terminais de Paulínia e Barueri, ambos em São Paulo, participam do leilão com 3,7 milhões e 109 mil litros, respectivamente. Já Itajaí e Biguaçu, em Santa Catarina, contam com 546 mil e 979 mil litros cada.

Conforme o divulgado inicialmente, em 2018, o terminal Reduc possuía 10,14 milhões de litros de anidro armazenados, sendo que 5 milhões deles foram a leilão em agosto de 2019, 8 milhões no início de setembro e outros 6 milhões no fim de setembro de 2019.

Já em relação aos terminais de São Paulo, Paulínia tinha 7,7 milhões de litros de anidro estocados em 2018, sendo que 3,9 milhões foram leiloados em agosto de 2019 e outros 3,5 milhões foram colocados à venda em julho deste ano. Por sua vez, Barueri possuía 3,6 milhões de litros em 2018 e teve sua totalidade pleiteada em setembro de 2019 e em janeiro e em julho de 2020.

Além disso, Itajaí (SC) possuía inicialmente 7,7 milhões de litros do renovável, sendo que 3,8 milhões foram a pleito em setembro de 2019, 3,9 milhões, neste mês, e 1,9 milhão ainda serão leiloados, no quinto leilão de 2020, marcado para 16 de setembro.

Já os 3,1 milhões de litros que inicialmente estavam armazenados em Biguaçu (SC) foram a pleito em sua totalidade em agosto de 2019 e em janeiro de 2020, e também estarão no quinto leilão deste ano.

Como a Petrobras não divulga os resultados dos pleitos, não é possível compreender a inconsistência dos dados quando a soma de todos os leilões supera o volume inicial. Ela pode se dever ao fato de que nenhum leilão conseguiu eliminar toda a quantia pretendida ou ao acúmulo de novas quantidades, não declaradas, do biocombustível.

A petroleira vem se dedicando a zerar seus estoques de etanol desde 2019, quando ocorreu o primeiro leilão do biocombustível. Em setembro do ano passado, inclusive, a companhia divulgou que esperava eliminar todo o volume armazenado até o final de 2019 – o que, considerando que ainda estão ocorrendo leilões em 2020, não se concretizou.

No total, 80,09 milhões de litros de etanol estavam estocados em Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Bahia e Minas Gerais, sendo que a maioria estava no estado paulista. Desde 2018, já foram divulgados onze pleitos, sendo cinco em 2019 e seis em 2020.

Segundo nota técnica da ANP, o acúmulo de etanol pela petrolífera é “oriundo da degradação da interface de movimentação entre gasolina e etanol de terceiros nos polidutos operados pela Petrobras Transporte”. Devido a estes fatores, a agência permitiu a venda do biocombustível, que estaria atrapalhando o sistema logístico da petrolífera.

Como ocorreu nos demais leilões, foi divulgado no DOU que os interessados em participar do pleito devem consultar o edital no site da Petrobras, onde constam informações sobre lotes, valores e deveres do comprador. O documento, porém, ainda não está disponível.

Rafaella Coury – novaCana.com

Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail