Etanol: Mercado: Gasolina

Gasolina cara incentiva venda de etanol em MS; renovável já falta em postos da capital

Preço da gasolina próximo de R$ 6 assusta os condutores na hora de abastecer


Campo Grande News (MS) - 08 mar 2021 - 08:11

Com o preço da gasolina nas alturas, uma velha alternativa para o abastecimento de veículos voltou a fazer parte do dia a dia dos condutores de Mato Grosso do Sul: o etanol. O produto já registra alta na demanda, dobrando em alguns postos de combustíveis da capital e faltando em outros, conforme verificado pelo Campo Grande News.

Durante a semana, vários foram os relatos recebidos na redação sobre falta do produto nas bombas. Nesse sábado, 6, fomos a alguns deles e comprovamos o problema.

Em um dos postos verificados, o etanol já atingiu o nível mínimo de segurança do reservatório e seu abastecimento foi suspenso na tarde de sexta-feira, devendo retornar apenas quando uma nova carga chegar – a previsão era para a própria tarde de sábado.

“O etanol parece estar em falta nas distribuidoras, devido a um aumento brusco na procura”, revela o gerente da unidade, Milton Pimentel, ao comentar sobre a falta de etanol nos postos de Campo Grande (MS).

Já entre os clientes, a revelação é uma “mini-peregrinação” em busca de local para abastecer com etanol. É o caso do motorista de aplicativo Fábio Marcelo, de 57 anos. “Esse é o segundo posto que venho e não tem o combustível. Vou ter que buscar um terceiro, sendo que meu carro está para entrar na reserva”, comenta.

Como trabalha rodando por toda a cidade por várias horas, o preço do combustível é fator fundamental na geração de lucros para ele. “A gasolina não é uma opção, pois está quase R$ 6. Não compensa. O lucro do nosso trabalho fica só para os grandes e a classe trabalhadora não tem vez”, desabafa.

Dobrou a demanda

Em outro posto, o etanol ainda não estava em falta, mas o gerente Moacir Costa, de 33 anos, relata que praticamente dobrou a demanda pelo combustível oriundo da cana-de-açúcar.

A vendedora Jeane Cristina de Campos abastecia no momento que a reportagem estava no local e conversou sobre a opção pelo etanol. “Sempre abasteci com gasolina, mas estou só com o álcool há uma semana. Vou e volto de Sidrolândia todos os dias à trabalho e tenho que abastecer dia sim e dia não”, frisa.

Segundo a consumidora, os gastos para encher o tanque com gasolina, que antes ficavam na casa dos R$ 180, agora estão perto de R$ 250, ou seja, R$ 70 a mais. “Não que o álcool compense totalmente, já que o rendimento dele é menor, mas não tem jeito”.

Outro que também comentou a situação foi o operador de empilhadeira Wilson Cabral. “Já tem dois meses que abasteço só com álcool. Não tem outro jeito, o preço da gasolina está abusivo”, afirma.

Nyelder Rodrigues


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail