PUBLICIDADE
ARMAC
Etanol: Mercado

Consumo de hidratado no 1º semestre de 2022 foi de 7,77 bi litros, queda anual de 15,7%

Considerando apenas o mês de junho, motoristas demandaram 1,35 bilhão de litros, alta anual de 5,5%


NovaCana - 01 ago 2022 - 15:44

No primeiro semestre do ano, o consumo nacional de etanol hidratado foi de 7,77 bilhões de litros, representando uma redução de 15,7% no comparativo com mesmo período de 2021, quando o volume foi de 9,2 bilhões de litros. Este é o montante mais baixo para o período desde 2017.

Considerando o mesmo comparativo, o consumo de gasolina foi de 19,72 bilhões de litros, com uma ampliação ano a ano de 10,8% em relação aos 17,8 bilhões de litros consumidos no primeiro semestre de 2021.

As informações sobre o andamento do mercado de combustíveis até junho de 2022 foram divulgadas na última sexta-feira, 29, pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Ainda que os números sigam demonstrando a preferência do consumidor pela opção fóssil, a retração para o etanol e a elevação para a gasolina estão menos evidentes do que no acumulado de janeiro a maio e vem se reduzindo a cada mês.

O movimento vai de encontro à maior competitividade do etanol nos postos brasileiros. Em junho, o preço médio do biocombustível foi equivalente a menos de 70% do valor da gasolina, tornando o renovável mais favorável ao bolso dos brasileiros e aumentando sua preferência nas bombas. De 19 a 26 de junho, inclusive, essa relação foi de 65,9%, com o renovável atingindo o melhor índice de competitividade desde agosto de 2020.

No acumulado de janeiro a junho, o volume total abastecido com gasolina e etanol (em gasolina equivalente) teve um crescimento de 3,7%, indo de 24,31 bilhões de litros em 2021 para 25,21 bilhões em 2022. A quantidade demonstra continuidade de uma recuperação de mercado.

Em São Paulo, estado que mais produz e consome etanol no país, a queda na demanda pelo biocombustível foi de 18,4% no período, saindo de 4,67 bilhões de litros para 3,82 bilhões de litros.

Resultado mensal

Considerando apenas junho, a demanda total por hidratado foi de 1,35 bilhão de litros, aumento anual de 5,5%. Na comparação com o mês anterior, houve uma alta de 3,3%, uma vez que haviam sido consumidos 1,3 bilhão de litros em maio. São Paulo foi responsável por 672 milhões de litros em junho, com incrementos nos comparativos anual e mensal.

No mês, 23,2% do volume abastecido no país foi com o renovável, ante os 21,2% de maio, demonstrando uma maior participação de mercado. Apesar disso, a fatia ainda é inferior à vista em abril. Em São Paulo, o índice ficou em 39%, acima dos 35,1% de um mês antes.

De acordo com a União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica), no mês de junho, as unidades produtoras do Centro-Sul comercializaram 2,46 bilhões de litros de etanol, o que representa uma retração de 1% em relação ao mesmo período da safra 2021/22.

A entidade ainda informou que, no mercado interno, o volume de etanol hidratado comercializado foi de 1,33 bilhão de litros, que representa uma queda de 6,4% em relação ano anterior. Já as vendas domésticas de anidro, por sua vez, totalizaram 836,81 milhões de litros no mês, volume 2% inferior ao observado em junho de 2021.

No acumulado da safra, foram comercializados 4,11 bilhões de litros de hidratado domesticamente (-6,9%) e 2,42 bilhões de litros de anidro (+3,7%).

consumo 01 otto acumulado block 020321

consumo 02 otto mensal block 020321

consumo 03 combustiveis evolucao block 020321

consumo 04 hidratado anual block 020321

consumo 05 hidratado mensal block 020321

consumo 06 preferencia consumidor block 020321

NovaCana DATA (exclusivo assinantes)

Gabrielle Rumor Koster – NovaCana


EXCLUSIVO ASSINANTES

O texto completo desta página está
disponível apenas aos assinantes do site!

VEJA COMO É FÁCIL E RÁPIDO ASSINAR



PUBLICIDADE BASF GIGA INTERNAS BASF GIGA INTERNAS

Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE
STOLLER
x