PUBLICIDADE
ARMAC
Etanol: Mercado

Consumo acumulado de etanol hidratado até abril é o menor desde 2017 [30 gráficos]

Enquanto retração no quadrimestre chegou a 21,9%, a mensal ficou em 10,2%


NovaCana - 31 mai 2022 - 14:41

O consumo acumulado de etanol hidratado no país, considerando o período de janeiro a abril, caiu 21,9% entre os últimos dois anos. Se em 2022 foram adquiridos 5,03 bilhões de litros do produto no período, no mesmo espaço de tempo do ano anterior essa quantidade foi de 6,4 bilhões de litros. O volume é o mais baixo para o período desde 2017.

Enquanto isso, o consumo acumulado de gasolina nos primeiros quatro meses do ano chegou a 13,13 bilhões de litros, representando aumento de 14,1% ante os 11,51 bilhões de litros de um ano antes. Seguindo a tendência, os números demonstram a preferência do consumidor pela opção fóssil.

As informações sobre o consumo até abril de 2022 foram divulgadas ontem, 30, pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

A última semana do mês, inclusive, registrou os preços recordes, tanto para o etanol quanto para a gasolina na média dos postos brasileiros. Além disso, a relação entre os valores dos combustíveis subiu durante todo o mês – em um movimento desfavorável ao etanol –, voltando a cair somente em maio.

No acumulado dos quatro primeiros meses do ano, considerando a gasolina e o etanol (em gasolina equivalente), o volume abastecido por veículos do ciclo Otto teve um crescimento de 3,9%, indo de 16,06 bilhões de litros em 2021 para 16,68 bilhões em 2022. A quantidade demonstra continuidade de uma recuperação de mercado.

Em São Paulo, estado que mais produz e consome etanol país, a queda na demanda pelo biocombustível foi de 25,4% no período, saindo de 3,25 bilhões de litros para 2,42 bilhões de litros.

Queda mensal

Considerando apenas o mês de abril, a demanda por hidratado foi de 1,37 bilhão de litros, retração anual de 10,2%. Já na comparação com março, também houve queda, de 8,4%, uma vez que foram consumidos 1,49 bilhão de litros no período. São Paulo foi responsável por 640 milhões de litros em abril, também demonstrando baixas nos comparativos anual e mensal.

Em abril, apenas 22,9% do volume abastecido foi com o renovável, ante os 24,27% de março. Em contrapartida, janeiro e fevereiro viram fatias ainda menores, que não chegaram a 20%. Já em São Paulo, o índice ficou em 36,9%, abaixo dos 38,9% de um mês antes.

De acordo com a União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica) o volume de etanol hidratado comercializado no mercado interno em abril foi de 1,37 bilhão de litros, uma queda de 5,5% em relação ao mesmo mês do ano passado. Ainda conforme a entidade, o resultado reflete a forte retração de 12,6% nas entregas da segunda quinzena, que foram de 696,17 milhões de litros.

“Apesar da queda nas saídas de hidratado em relação as vendas de mesmo período de 2021, o resultado dos últimos quinze dias de abril indica um mercado aquecido com um crescimento de 2,5% nas saídas ante o volume comercializado durante a primeira quinzena do mês”, afirmou o diretor técnico da Unica, Antonio de Padua Rodrigues.

“Mesmo nesse momento com uma paridade aparentemente desfavorável, o consumidor tem optado pelo etanol, mostrando que a decisão de consumo não é pautada exclusivamente pelo preço e deve-se levar em consideração os benefícios ambientais e de saúde pública”, completou.

consumo 01 otto acumulado block 020321

consumo 02 otto mensal block 020321

consumo 03 combustiveis evolucao block 020321

consumo 04 hidratado anual block 020321

consumo 05 hidratado mensal block 020321

consumo 06 preferencia consumidor block 020321

NovaCana DATA (exclusivo assinantes)

Gabrielle Rumor Koster – NovaCana


EXCLUSIVO ASSINANTES

O texto completo desta página está
disponível apenas aos assinantes do site!

VEJA COMO É FÁCIL E RÁPIDO ASSINAR



PUBLICIDADE FMC_VERIMARK_INTERNO FMC_VERIMARK_INTERNO

Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE
STOLLER
x