Etanol: Mercado

Em comparativo com mês do início da pandemia, consumo de etanol vê recuperação

Em março deste ano, demanda pelo biocombustível foi de 1,55 bilhão de litros, crescimento de 5% ante mesmo mês de 2020


NovaCana - 03 mai 2021 - 16:31

O impacto da pandemia de coronavírus sobre o mercado de combustíveis começou a ser sentido em março do ano passado, quando a demanda do ciclo Otto caiu 14%, de 4,35 bilhões para 3,74 bilhões de litros. Um ano depois, a doença segue disseminada entre a população brasileira e o consumo registrado em março foi de 3,92 bilhões de litros – 4,6% acima de um ano antes, mas 10% abaixo do mesmo mês em 2019.

Considerando que o etanol foi mais afetado que a gasolina, os números divulgados na última sexta-feira, 30, pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) trazem sinais de uma recuperação. Os valores para o biocombustível estão representados em gasolina equivalente, permitindo uma melhor compreensão sobre a demanda e a comparação entre os combustíveis.

Em março deste ano, o consumo do biocombustível foi de 1,55 bilhão de litros. O montante é 5,1% superior ante o registrado um ano antes, um índice maior que o visto na demanda geral. No período, 28,05% do volume abastecido foi com etanol, contra 27,93% em março de 2019.

Ao mesmo tempo, o valor representa uma queda de 11,6% na comparação com dois anos atrás, um indicador pior que o registrado quando também se considera a gasolina. Ou seja, apesar da recuperação na comparação com 2020, o etanol não retomou sua participação de mercado anterior à pandemia; em março de 2019, o biocombustível representava 28,52% do volume abastecido com combustíveis do ciclo Otto no país.

Esta menor participação de mercado surge principalmente em São Paulo, maior estado consumidor de etanol. Em março de 2019, o índice era de 49,44%; um ano depois, houve até mesmo um aumento, chegando a 50,78%; mas o valor mais recente é de 48,93%. Com isso, em março deste ano, a demanda pelo renovável ficou 1,8% abaixo da vista um ano antes, com 780 milhões de litros. Na comparação com o mesmo mês de 2019, a queda foi de 14,5%.

Consumo trimestral

No acumulado do ano, a demanda por combustíveis do ciclo Otto foi de 12,23 bilhões de litros, o valor mais baixo para o período desde 2013. Na comparação com 2020, a diminuição foi de 2,9%.

Deste volume, 4,91 bilhões de litros foram de etanol, representando uma retração anual de 4,6%. Já 8,76 bilhões foram de gasolina C, o equivalente a uma queda de 2,1%. Desta forma, o impacto acumulado de 2021 ainda é maior sobre o biocombustível na comparação com o seu concorrente fóssil.

consumo 01 otto acumulado block 020321

consumo 02 otto mensal block 020321

consumo 03 combustiveis evolucao block 020321

consumo 04 hidratado anual block 020321

consumo 05 hidratado mensal block 020321

consumo 06 preferencia consumidor block 020321

novaCana DATA (exclusivo assinantes)

Renata Bossle – NovaCana


EXCLUSIVO ASSINANTES

O texto completo desta página está
disponível apenas aos assinantes do site!

VEJA COMO É FÁCIL E RÁPIDO ASSINAR



Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail



x