PUBLICIDADE
renovacao renovacao
Etanol: Abastecimento

Estoques de etanol do Centro-Sul caem 34,6% no comparativo anual [21 gráficos]

Ainda assim, o volume está 39,9% maior ante o mesmo período da temporada 2019/20


NovaCana - 19 mai 2021 - 12:24

É natural que os estoques de etanol das usinas do Centro-Sul iniciem uma curva de aumento após o início de safra devido à maior intensidade de produção. Entretanto, fatores como atrasos no início da moagem, alta demanda por açúcar e menor consumo de etanol, por exemplo, fizeram com que esta ampliação esteja sendo menor no ciclo 2021/22.

Na quinzena encerrada em 1º de maio, o crescimento do volume armazenado no comparativo com a anterior foi de 138,68 milhões de litros, ou 7,8%. Entretanto, no mesmo comparativo das temporadas anteriores, os aumentos foram superiores, de 613,43 milhões em 2020/21 (+26,3%), 201,31 milhões em 2019/20 (+17,1%) e 691,13 milhões em 2018/19 (+47,5%).

De todo modo, o cenário se inverteu em relação à quinzena anterior, de 1º a 16 de abril deste ano, quando houve uma redução de 205,1 milhões de litros na quantidade estocada. O atual aumento também condiz com o fato de que as usinas produziram mais etanol (1,28 bilhão) do que comercializaram (1,16 bilhão), conforme dados da União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica).

Além disso, em 1º de maio, o volume de etanol estocado pelas usinas do Centro-Sul do país estava 34,6% menor do que no mesmo período da temporada passada. Um mês após o início oficial da safra, os tanques armazenavam 1,92 bilhão de litros, contra os 2,94 bilhões de um ano antes. Os dados são do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Apesar da queda no comparativo anual, é preciso considerar que os estoques estavam particularmente cheios no início da safra 2020/21, após uma temporada de produção recorde do biocombustível e o choque de queda na demanda causado pela pandemia de covid-19. Em comparação com o mesmo período de 2019/20, por exemplo, o atual volume está 39,9% acima.

Hidratado e anidro

Do total estocado em 1º de maio, 1,28 bilhão de litros são de etanol hidratado, com retração anual de 28,34% no comparativo com os 1,79 bilhão de litros da safra passada.

Assim como vem ocorrendo nas últimas quinzenas, a redução anual para o anidro foi maior, de 44,4%, indo de 1,15 bilhão para 638,8 milhões de litros. Isto ocorre por conta do maior consumo de gasolina – que leva 27% de anidro na mistura – do que de etanol hidratado.

Nos primeiros três meses de 2021, a queda anual no consumo de combustíveis do ciclo Otto foi de 2,9%. Porém, considerando apenas o hidratado, a retração no mesmo comparativo foi de 4,6%; para a gasolina C, o índice foi de 2,1%.

A maior preferência pelo combustível fóssil também fica clara na análise de preços nos postos, uma vez que o etanol vem perdendo competitividade.

A maior parcela do volume guardado estava nas unidades de São Paulo, totalizando 1,08 bilhão de litros em 1º de maio – redução anual de 43,95%. Dessa quantidade, 733 milhões de litros são de hidratado (-28,7%) e outros 346 milhões, de anidro (-61,45%).

etanol 01 total 030521 block

etanol 04 total estados 030521 block

etanol 02 anidro 030521 block

etanol 04 hidratado estados 030521 block

etanol 02 hidratado 030521 block

etanol 04 anidro estados 030521 block

NovaCana DATA (exclusivo assinantes)

Gabrielle Rumor Koster – NovaCana


EXCLUSIVO ASSINANTES

O texto completo desta página está
disponível apenas aos assinantes do site!

VEJA COMO É FÁCIL E RÁPIDO ASSINAR



PUBLICIDADE BASF_NOV_INTERNAS BASF_NOV_INTERNAS

Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE
STOLLER
x