Distribuidoras

Raízen negocia parceria na distribuição de combustíveis em MT, dizem fontes


Scoop by Mover - 05 set 2022 - 09:35

O grupo de energia e biocombustíveis Raízen está negociando uma parceria para expandir a atuação em distribuição de combustíveis, com foco no estado do Mato Grosso, região importante para o agronegócio, disseram fontes ao Scoop by Mover.

As conversas da Raízen são para uma associação conjunta com o Grupo Simarelli, que tem sede em Cuiabá e uma rede de postos com unidades em Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia e Goiás, segundo as fontes, que pediram anonimato porque a potencial transação não é pública.

O acordo sendo costurado entre as empresas prevê a criação de uma nova companhia conjunta, ou joint venture, para atuação em distribuição de combustíveis e gás natural veicular no Mato Grosso – a Raízen teria participação de 89% nessa empresa.

As fontes não informaram o valor que seria desembolsado pela Raízen na operação. Procurada, a Raízen não comentou. Não foi possível contatar representantes do Grupo Simarelli.

A potencial associação entre a Raízen e o Grupo Simarelli está em análise no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), que avalia se o negócio exigirá alguma condicionante para proteção à concorrência no setor, segundo uma das fontes.

Após a transação, os postos que operam com bandeira Simarelli no Mato Grosso passariam a adotar bandeira Shell, usada nos postos da Raízen, que tem a petroleira inglesa como uma de suas acionistas, ao lado da Cosan, disse uma segunda fonte.

O grupo Simarelli, que começou como transportadora de combustíveis, possui uma centena de postos, mas enfrentou dificuldades devido ao atual cenário de aumento das importações de diesel S-10, que favoreceu grandes redes, como Raízen, Vibra e Ipiranga, disse ao Scoop uma terceira fonte, com longa atuação no mercado.

“Ela vale mais para a Raízen, que já tem toda uma estrutura montada, e principalmente uma marca que agrega valor, do que para seus acionistas”, explicou a fonte sobre a Simarelli, citando vantagens das líderes do setor para importar, como a escala das aquisições e a garantia de crédito, que inclusive interferem diretamente nos preços de compra de combustível.

Embora esteja direcionando 85% dos investimentos para expansão de seus negócios em renováveis, a Raízen também mira ampliar a participação no mercado de distribuição de combustíveis. A companhia, inclusive, fechou no ano passado a compra de 50% na maior rede de postos do Paraguai, por US$130 milhões.

No Brasil, a Raízen tem fatia de mercado de cerca de 34% em distribuição, ocupando a segunda colocação no setor, contra 38,3% e 27,7% das principais rivais, Vibra e Ipiranga, da Ultrapar, segundo apresentação da companhia no Raízen Day. Em 2012, a participação da Raízen era de 24,2%.

Luciano Costa


PUBLICIDADE BASF_NOV_INTERNAS BASF_NOV_INTERNAS

Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE
STOLLER
x