PUBLICIDADE
BN novacana 1300x150
Cogeração de energia

Cogen acredita que bioeletricidade não atingiu potencial nos leilões A-3 e A-4


Notícias Agrícolas - 09 jul 2021 - 15:38

Os leilões de energia A-3 e A-4, realizados nesta quinta-feira, 8, totalizaram a contratação de termelétricas a biomassa com potências de 23,6 MWmed e 17,6 MWmed, respectivamente. O resultado ficou “muito abaixo” do potencial que a bioeletricidade tem a oferecer na visão da Associação da Indústria de Cogeração de Energia (Cogen).

No leilão A-3, o preço médio ficou em R$ 176,00/MWh e, no seguinte, de R$ 196,00/MWh.

“Na avaliação da Cogen, o número de projetos e os volumes contratados nos leilões A-4 e A-3, foram muito abaixo do potencial de contribuição que a bioeletricidade tem a oferecer ao país”, disse a entidade em nota.

O diretor de tecnologia e regulação da Cogen, Leonardo Caio Filho, reforça que a geração de energia proveniente das biomassas ajuda a preservar 15 pontos percentuais da capacidade de armazenamento das hidrelétricas.

“A cogeração a biomassa fornece ao Sistema Interligado Nacional (SIN) uma energia com vários atributos: próxima dos pontos de consumo, com potência e qualidade, principalmente no período de safra, entre os meses de abril e novembro, que coincidem com o período seco”, completa.

Em função de todos esses atributos, a Cogen entende que seria interessante uma contratação de um número maior de empreendimentos nos próximos certames. “A contratação de um volume maior de energia das usinas movidas a biomassa poderia dar mais equilíbrio ao SIN, ampliando a segurança energética”, diz o diretor da Cogen.

Jhonatas Simião


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE
Card image


x