BASF
Cana: Safra / Moagem

[Unica] Atualização quinzenal da safra 2019/20 - 1ª quinzena de maio

Para a União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica), atraso na moagem e crescimento nas vendas de etanol marcam início da safra 2019/2020


Unica - 23 mai 2019 - 12:57 - Última atualização em: 11 jun 2019 - 11:54

  1. Moagem quinzenal: A quantidade de cana-de-açúcar processada pelas unidades produtoras da região Centro-Sul totalizou 38,63 milhões de toneladas na 1ª metade de maio, retração de 9,71% sobre o valor apurado na mesma quinzena da safra 2018/2019 – 42,78 milhões de toneladas.

    tabela unica23.05.2019
  2. Usinas em operação: Em relação ao número de unidades em operação, 236 empresas registraram moagem até 15 de maio, versus 248 até igual data do último ano. Para a 2ª quinzena deste mês, a expectativa é de que 11 usinas iniciem safra.

  3. Produção quinzenal de açúcar: Reflexo da menor disponibilidade de cana-de-açúcar e do mix mais alcooleiro, a produção de açúcar caiu 16,34%: 1,59 milhão de toneladas nos primeiros 15 dias de 2019, ante 1,91 milhão de toneladas em igual quinzena do ano anterior.

  4. Produção quinzenal de etanol: Nesse mesmo período, a produção de etanol diminuiu 14,28%, somando 1,78 bilhão de litros na corrente safra. No caso do etanol hidratado, o volume produzido atingiu 1,22 bilhão de litros, retração de 13,99% em relação a mesma quinzena do ciclo 2018/2019. A fabricação de etanol anidro, por sua vez, totalizou 559,85 milhões de litros – recuo de 14,90%.

  5. Etanol de milho: Em relação ao etanol de milho, 49,91 milhões de litros foram fabricados na primeira metade de maio. Entre abril até o dia 15 deste mês, foram 150,55 milhões de litros, crescimento de 67,02% sobre o volume apurado para o mesmo período de 2018.

  6. Moagem acumulada: No acumulado do ciclo 2019/2020 até o dia 15 deste mês, a moagem atingiu 84,15 milhões de toneladas - queda de 18,27% sobre o ano anterior.

    tabela unica acumulada23.05.2019

  7. Análise sobre o andamento da moagem: O diretor técnico da Unica, Antonio de Padua Rodrigues, explica que “a safra 2019/2020 registra retração na moagem de aproximadamente 20 milhões de toneladas, cuja recuperação dependerá muito do aproveitamento do tempo nas próximas quinzenas”. As unidades que produzem açúcar e etanol (anexas) atingiram uma participação de 83% na moagem de cana no início desta safra e apresentaram uma redução no rendimento industrial de 4,5 quilos de açúcar por tonelada de cana processada quando comparada com a produção de açúcar na mesma quinzena da safra anterior. Esses elementos indicam uma safra mais alcooleira até o momento, acrescentou Rodrigues.

  8. Mix de produção: Considerando unidades anexas e autônomas, 32,29% da cana processada foi direcionada à produção de açúcar desde o início do ciclo 2019/2020 até 15 de maio, inferior aos 35,15% observados até a mesma data de 2018.

  9. Produção acumulada de açúcar e etanol: No acumulado desde o início da safra, a produção de açúcar alcançou 2,97 milhões de toneladas. Já o volume acumulado de etanol atingiu 4,01 bilhões de litros, sendo 954,00 milhões de litros de etanol anidro e 3,06 bilhões de litros de etanol hidratado.
  10. Evolução do ATR: A qualidade da matéria-prima processada na primeira quinzena de maio, mensurada a partir da concentração de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR), registra sensível retração de 6,70%, atingindo 119,65 kg por tonelada em 2019 contra 128,24 kg verificados na mesma quinzena do último ano. No acumulado da safra, o indicador de qualidade assinala 114,90 kg de ATR por tonelada, com retração de 4,68% em relação ao valor da safra 2018/19.

  11. Análise sobre o ATR: “A perda de 8,5 quilos de ATR por tonelada reflete diretamente sobre o mix de produção. Caso não houvesse a retração, apenas 34% do ATR disponível deveria ter sido direcionado para produção de açúcar – valor inferior ao efetivamente apurado de 36,22% na primeira quinzena de maio”, concluiu Rodrigues.

  12. Produtividade agrícola: Dados apurados pelo Centro de Tecnologia Canavieira (CTC) a partir de uma amostra comum de 114 empresas, indicam redução de 1,39% na produtividade agrícola do canavial colhido em abril na comparação com o mesmo período da safra anterior (82,20 toneladas por hectare nesse ano, versus 83,36 toneladas por hectare no ciclo anterior). Portanto, até o momento os dados não indicam aumento da produtividade agrícola. A retração de rendimento, acrescida da menor qualidade da matéria-prima, resulta em uma redução próxima a 480 quilos de ATR por hectare colhido até 15 de maio.

  13. Vendas quinzenais de etanol: O volume de etanol comercializado pelas unidades produtoras do Centro-Sul somou 1,32 bilhão de litros na primeira quinzena de maio, crescimento de 15,89% em relação a igual período de 2018 (1,14 bilhão de litros).

  14. Vendas de hidratado: No mercado interno, a venda de etanol hidratado permaneceu aquecida, totalizando 934,72 milhões de litros, o maior volume já registrado para uma primeira quinzena de maio na série histórica. Essa quantidade representa um aumento de 21,53% sobre o montante apurado no mesmo período de 2018 (769,14 milhões de litros).

  15. Vendas de anidro: Em relação ao comércio de etanol anidro no mercado doméstico, houve um crescimento de 16,35% em relação a mesma quinzena do ano passado: 382,36 milhões de litros vendidos em 2019, contra 328,63 milhões de litros em 2018. Esse resultado reflete as transferências do aditivo para o consumo pela região Norte-Nordeste.

  16. Vendas acumuladas de etanol: Desde o início da safra, as vendas de etanol pelo Centro-Sul somaram 3,83 bilhões de litros, sendo 64,66 milhões de litros para exportação e 3,77 bilhões ao mercado interno – com destaque para as vendas internas de etanol hidratado que acumulam alta de 30,85% nesse período.

Mais informações

exclusivo assinantes

O texto completo desta página
está disponível apenas aos assinantes do site

veja como é fácil e rápido assinar

ou