BASF
Cana: Safra / Moagem

Ranking traz as 100 cidades brasileiras que mais produziram cana-de-açúcar em 2017


novaCana.com - 16 out 2018 - 09:50 - Última atualização em: 05 set 2019 - 15:21

A safra de cana-de-açúcar 2017/18 pode não ter sido tão grandiosa quanto a anterior – a segunda maior já registrada no país –, mas, ainda assim, nela foi colhida a quarta maior quantidade da matéria-primeira da história brasileira.

Os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que apresentam o levantamento do plantio da cultura nas cidades brasileiras, apontam que, em todo o país, 758,54 milhões de toneladas foram colhidas em 2017, um decréscimo de 1,3% frente a 2016, quando o valor foi de 768,56 milhões de toneladas.

Os valores totais apresentam divergência em relação os dados da Unica e do Ministério da Agricultura (Mapa) pois são referentes ao período de janeiro a dezembro e incluem a produção de cana-de-açúcar para qualquer finalidade, não somente para as usinas de açúcar e etanol.

A área aproveitada de cana no período foi de 10,18 milhões de hectares, uma redução de 0,32% ante o ano anterior. Também houve uma retração no rendimento médio dos canaviais, que passou de 75,18 toneladas por hectare para 74,48 t/ha.

Ainda que, em relação ao território brasileiro, a área de cana represente apenas 1,2% do total, a cultura é essencial para a economia de muitos municípios.

O novaCana cruzou os dados de área plantada de cana-de-açúcar por cidade com a área dos municípios, também divulgada pelo IBGE. A cidade que apresentou a maior representatividade de área em cana é Murutinga do Sul, em São Paulo: dos 25,08 mil hectares do município, 23,12 mil são de cana-de-açúcar, ou seja, 92,19%. A cidade está em 132º no ranking de moagem da matéria-prima, que considera todas as cidades produtoras, e colheu 1,61 milhões de toneladas em 2017.

Em seguida, Pradópolis e Santa Lúcia, ambas paulistas, têm cerca de 90% do território destinado à cana e estão em 183º e 233º lugares na quantidade de cana moída em 2017, respectivamente. Esse indicador demonstra como muitos municípios brasileiros, especialmente em São Paulo, dependem do setor sucroenergético.

IBGE producao cana percentual 06 01102018

Das cidades brasileiras que possuem cana plantada, sete dedicam de 80% a 90% da sua área à cultura. Já 20 cidades usam de 70% a 80%, 54 de 50% a 60% e 83 de 40% a 50%.

As cidades que mais produzem

Morro Agudo, em São Paulo, foi a cidade que mais produziu cana em 2017, com um volume de 8,12 milhões de toneladas – o montante representa um acréscimo de 2,2% em comparação a 2016. Além disso, a cidade tem 71,32% do seu território focado na cultura.

Com esse resultado, o município paulista ultrapassou Rio Brilhante, no Mato Grosso do Sul, que colheu 7,55 milhões de toneladas no período e tem um cenário menos concentrado: apenas 22,48% da área é destinada à cana. A cidade, que vinha apresentando resultados crescentes desde 2015, reduziu sua produção em 11,2% entre 2016, quando colheu 8,4 milhões de toneladas, e 2017.

IBGE producao cana participacao território 05 01102018

Em contrapartida, a mineira Uberaba passou do quarto para o terceiro lugar, aumentando o volume colhido de 6,27 milhões para 6,77 milhões de toneladas (+8%). A cidade mineira ocupa a posição que, em 2016, era de Nova Alvorada do Sul (MS), que agora está em sexto.

 

Depois de Uberaba há a primeira aparição de Goiás no ranking, com Quirinópolis, que estava na sexta colocação em 2016 – o município subiu duas posições graças ao volume de 6,1 milhões de toneladas (+17%) colhidas em 2017. Já Barretos, em São Paulo, permanece em quinto lugar e mantém o volume de 5,8 milhões de toneladas.

Além disso, algumas cidades se destacaram no percentual de crescimento em relação a 2016. Unaí (SP) expandiu a moagem em 344,9%, alcançando 2,12 milhões de toneladas; Tupaciguara (MG) aumentou 91,8% (2,07 mi t); e Luis Antônio (SP), 75,2% (3,40 mi t).

IBGE producao cana ranking cidades estados 03 01102018

Das 100 cidades que mais produziram cana, 65 são paulistas, 12 são goianas e dez, mineiras. Mato Grosso do Sul possui oito cidades no ranking, Mato Grosso possui quatro e Tocantins, apenas uma.

Desempenho estadual

Do total de 758,54 milhões de toneladas de cana colhidas em 2017, mais da metade foi no estado de São Paulo. O maior produtor de cana do país moeu 450,42 milhões de toneladas em uma área de 5,6 milhões de hectares. Apesar da retração produtiva no país, o estado cresceu 1,84% em moagem.

IBGE producao cana ranking estados 04 01102018

Já Goiás, o segundo estado que mais produz, manteve sua posição por meio de um pequeno aumento, de 71,06 milhões para 71,38 milhões de toneladas (+0,46%). Em 2017, a área de cana no estado ocupou a extensão de 922,8 mil hectares.

Minas Gerais, por sua vez, passou de 69,93 milhões para 69,70 milhões de toneladas (-0,33%), e conseguiu manter a terceira posição, com aproveitamento de 906,4 mil hectares.

O quarto e o quinto lugares são de Mato Grosso do Sul e do Paraná, que também tiveram retrações nas produções e permaneceram na mesma posição que em 2016. O estado sulista caiu de 47,49 milhões para 40,72 milhões de toneladas (-14,25%), enquanto o estado do Centro-Oeste reduziu sua moagem de 51,92 milhões para 46,93 milhões de toneladas (-9,62%).

IBGE producao cana estados 01 01102018

Apesar da área restrita e do volume de apenas 83 milhões de toneladas de cana, o Distrito Federal foi o estado que mais cresceu em produção em relação a 2016 (+31,12%). Em contrapartida, o Acre foi o estado que apresentou a maior queda (-82,75%), seguido por Rondônia (-30,27%), Bahia (-25,7%) e Paraíba (-24,78%).

Os dados completos sobre a produção, por estado e por município, além de informações de área, rendimento e preço médio da cana-de-açúcar estão disponíveis no novaCana DATA.

novaCana DATA

Gabrielle Rumor Koster – novaCana.com


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail