Cana: Safra / Moagem

Mix de produção 2020/21: O que esperar para a próxima safra de cana-de-açúcar


novaCana.com - 31 mar 2020 - 10:51

O que começou com uma perspectiva tímida no final de 2019 está se confirmando diariamente: a safra 2020/21 de cana-de-açúcar do Centro-Sul, que oficialmente inicia em 1º de abril, será consideravelmente mais açucareira do que a anterior.

No mais recente levantamento realizado pelo novaCana, com nove consultorias, a média das perspectivas é que, em 2020/21, 43,7% da cana seja direcionada para a fabricação de açúcar. No acumulado da safra anterior, este índice está em 34,38%, de acordo com a última atualização da União da Indústria da Cana-de-açúcar (Unica).

Levando em consideração a produção acumulada da commodity na safra 2019/20, este aumento de quase 10 pontos percentuais no mix de produção das usinas poderia significar um incremento de 7,19 milhões de toneladas no volume total de açúcar. Ou seja, considerando uma manutenção da moagem, a fabricação de açúcar poderia ultrapassar 30 milhões de toneladas – bem mais do que o esperado inicialmente.

Em setembro de 2019, três consultorias haviam arriscado números para o mix de produção da temporada. Na média, a matéria-prima destinada ao açúcar corresponderia a 36,47% do volume total, um reflexo da fixação dos preços futuros da commodity em patamares mais positivos do que os vistos na safra vigente.

No início de março, uma nova pesquisa com cinco consultorias chegou a uma média de 37,4%. À época, a Datagro apresentou suas estimativas para 2020/21 e afirmou que a produção de açúcar brasileira poderia aumentar graças às reduções em países como Índia e Tailândia, devido especialmente a questões climáticas.

Desta forma, o mundo precisaria de mais açúcar vindo do Brasil. Para as usinas, por sua vez, uma relação favorável entre os preços internacionais e o câmbio poderia significar um incremento na produção da commodity em detrimento do biocombustível.

Em menos de um mês, porém, o cenário se intensificou. Mesmo antes da safra iniciar, especialistas confirmam que a produção de açúcar em 2020/21 será consideravelmente maior do que a vista nos últimos anos.

Da pandemia de coronavírus à guerra do petróleo entre a Arábia Saudita e a Rússia, o etanol está se desfavorecendo na perspectiva das usinas e dos consumidores. O consumo de combustíveis e de commodities está mudando e as produtoras brasileiras precisarão ajustar sua produção em meio a um cenário inédito, tentando evitar que as possibilidades não as prejudiquem muito financeiramente.

Confira as estimativas levantadas pelo novaCana, além dos detalhes do cenário mundial que influenciaram nas alterações, no texto completo, exclusivo para assinantes


EXCLUSIVO ASSINANTES

O texto completo desta página está
disponível apenas aos assinantes do site!

VEJA COMO É FÁCIL E RÁPIDO ASSINAR



Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail