Cana: Meio ambiente

Batatais (SP) enfrenta dia de medo e prejuízo após cidade ser cercada por queimadas

Segundo a Defesa Civil, município registrou 40 focos de incêndio na zona rural na tarde desta quinta-feira, 9; chamas se alastraram e alcançaram perímetro urbano


G1 - 10 set 2021 - 08:11
Rodovia Candido Portinari foi fechada no trecho entre Batatais e Franca por causa da fumaça de incêndios

Fogo, vento e tempo seco formaram condições ideais para a devastação causada por 40 focos de incêndio ao redor do município de Batatais (SP). A Rodovia Candido Portinari entre Batatais e Franca (SP) ficou interditada por oito horas por causa da falta de visibilidade e do risco de acidentes.

Em alguns momentos, a Polícia Militar Rodoviária organizou comboios para auxiliar motoristas que precisavam seguir viagem.

Da cidade, moradores registraram redemoinhos de fogo perto das casas. Nos bairros mais próximos do limite urbano, as chamas chegaram muito perto dos imóveis e alguns foram atingidos.

A madeira estocada no pátio de uma madeireira que fica perto de um canavial foi completamente queimada. Em uma empresa de produtos químicos, funcionários se mobilizaram para evitar um incêndio no prédio. Os carros de uma funilaria vizinha, no entanto, não escaparam.

Morador do bairro Jardim Veneza, o operador de máquinas Emerson Esmeraldino tirou toda a família de casa por causa da fumaça. Bem em frente, um caminhão que estava em um canavial em chamas ficou destruído.

“É assustador. Eu tive que tirar minha família às pressas dali, devido à fumaça. [O fogo] Foi muito rápido, estava no mato e, de repente, estava na palhada pegando no caminhão, não deu tempo para nada”, diz.

Os incêndios afetaram linhas de transmissão e provocaram quedas de energia. Sem luz, o abastecimento de água na cidade foi prejudicado durante o dia e, segundo a Prefeitura, só foi retomado por volta das 19h.

Moradores

A aposentada Miriam Terezinha Nori Testa viveu momentos de angústia nesta quinta-feira, 9, em Batatais (SP) ao ver a cidade cercada por incêndios de grandes proporções. Com o rosto coberto por um pano por causa da fumaça, ela não segurou as lágrimas ao falar sobre a destruição.

“O fogo estava encostado no muro, as labaredas estavam encostadas. Eu me desesperei. Para correr, teria dado tempo, eu consegui sair. Mas você pensa assim, eu moro aqui faz 50 anos, é uma vida. E aí o que vai sobrar?”, diz.

Assim como ela, o mecânico Márcio Sujismundo ficou assustado com a situação. “Eu nunca vi isso. Eu estou com 46 anos e nunca vi isso na minha vida. É de assustar”.

Durante toda a quarta-feira, para onde se olhava em Batatais, a luz do sol custava a aparecer. Por causa da fumaça, a dona de casa Gabriela Oliveira teve que deixar a casa dela e ir ficar com uma amiga.

“A fumaça, a queimada, estava entrando embaixo da porta, pelas janelas. Mesmo a gente cobrindo, a fumaça entrava em cada frestinha. Não tinha como tampar”, afirma.

Defesa Civil

Por volta das 19h, autoridades informaram que os focos de incêndio mais próximos aos bairros tinham sido controlados. No entanto, o fogo ainda castigava a zona rural. Equipes do Corpo de Bombeiros, brigadistas voluntários e funcionários de usinas estão empenhados nos trabalhos de combate.

“Na zona rural, é bem mais complicado pela dificuldade da chegada das equipes e principalmente dos caminhões pipa, que são aqueles que dão apoio para a gente. Batatais tem áreas de mata, de reserva. Elas pegaram muito fogo e os caminhões não conseguem adentrar”, diz o coordenador da Defesa Civil, Marcelo Fracaroli.

As equipes também atuam no resgate de famílias que moram em propriedades rurais que estão muito perto dos focos.

“Nós estamos priorizando as pessoas, as residências onde o fogo está muito próximo para retirá-las, e também os animais. Na maioria das vezes eles [bichos] estão fechados e estamos tentando levá-los para áreas mais seguras”, relata.

Ao todo, três pessoas foram socorridas por causa da inalação de fumaça e por crises nervosas. De acordo com Fracaroli, elas passam bem e não houve feridos.

Os moradores que precisarem de ajuda devem entrar em contato com a Defesa Civil pelo telefone 199.


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail