Açúcar: Importação

Temendo escassez, China deve ampliar importação de açúcar


Bloomberg - 13 jul 2020 - 08:32

A China deve aumentar as importações de açúcar este ano. O governo pretende reforçar os estoques, temendo que a pandemia de coronavírus volte a abalar o comércio global, de acordo com pessoas familiarizadas com o assunto.

O país, um consumidor gigante, permite a importação de uma quantidade limitada de açúcar a tarifas menores e emite licenças para compras fora dessa cota. Agora o plano é aumentar as compras, em linha com os esforços das autoridades para ampliar o fornecimento de produtos agrícolas essenciais, revelaram as fontes, que pediram anonimato.

A China vem gradualmente flexibilizando salvaguardas implementadas para proteger a indústria açucareira local, apesar das críticas dos produtores que temem uma enxurrada de açúcar barato do exterior. Contudo, devido aos preços internos elevados, as salvaguardas aceleraram o contrabando, enquanto os carregamentos oficiais estão próximos dos limites máximos.

Sob o acordo de adesão à Organização Mundial do Comércio, a China permite a importação de até 1,95 milhão de toneladas de açúcar a uma tarifa preferencial de 15%. Fora dessa cota, algumas refinarias qualificadas recebem licenças para compras sob uma tarifa de importação de 50%. As licenças deste ano totalizam 1,35 milhão de toneladas.

O Ministério do Comércio alterou recentemente as regras de importação, afirmando que as compras fora da cota de tarifa baixa precisarão ser relatadas à câmara de comércio a partir de 1º de julho, como já ocorre com a soja e outras commodities. Essa medida alimentou especulações de que a China talvez abandone o sistema de licenças por volume fixo.

A nova regra de informação de compras de açúcar significa que mais empresas estarão qualificadas para importação, explicou uma das pessoas ouvidas pela reportagem. O Ministério do Comércio não respondeu a um fax solicitando comentários.

Esta semana, o ministério distribuiu um comunicado afirmando que incentiva as empresas chinesas a fazer uso pleno dos mercados local e externo para negociar açúcar e que espera que a associação da indústria possa ajudar a garantir que as importações sejam "organizadas".

A nova regra de informação de compras permitirá o rastreamento da situação geral da oferta pelas empresas, para que possam ajustar suas compras de maneira adequada e oportuna, segundo o comunicado.

A China deve importar cerca de 2,9 milhões de toneladas de açúcar durante o período de 12 meses até setembro, escreveu o analista Fan Jingya, da Cofco Futures, em relatório esta semana, acrescentando que subiu sua estimativa por prever que a nova regra permitirá o aumento das compras.